Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Travessia

Vai se desfazendo mais um dia, um dia diferente, igual como outro qualquer, mas um dia que anuncia outros dias, e inicia dizendo boas vindas em 2012 , este que vem chegando robusto , carregado de novas ideias, muitos sonhos, duvidas e oferecendo caminhos, portas e janelas a selar, anuncia novos amores, horrores, odores, desejos de feliz cidade, de feliz idade, sem maldade, e lá vem ele , um novo ritual de recomeço, que começa no dia 01  de janeiro de 2012, novo nascendo em casa cultura, em cada universo, tudo de novo, renovo, nada de novo, no ovo, ANO NOVO, ENTRE 2011 E 2012, inicio e fim, sem fim , nada de novo.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Por um instante

365 dias e um instante, me encontrei com o sereno da noite, pingando estrelas no meu caminho, copiando larvas de brisa, lavando as mãos ao meio dia, nas cacimbas da alma, com as aguas do outro dia, sempre assim, um meio dia, uma meia noite e um dia inteiro de saudades, de alegria, fantasia e alegoria, minha vida por um dia, um instante e saudade.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Belo

 O poeta do amor, é belo como uma flor, escreve com o coraçao, lindas mensagems,  proprias de um condor,  uma  poesia  de pele, que soa com muito vapor, cada uma com uma jeitinho especial,  ele sabe como  poetar, encanta  todo pensar, começo a dmirar ,dedilhar e inventar, sem as letras arrunar,  chego a te reverenciar, como faço  com as arvores, que passei a plantar na frente da minha casa, o bom de tudo são os  frutos, que servem para alimentar, seja madura a fruta, ou verde a saborear, o bom mesmo é degustar, um JAMBO maduro. Delicia vou te mostrar!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Poetando com Carlinhos do Bento: ESTOU TE ESPERANDO.....EU e a Poeta EDUCA-SILVA.

Poetando com Carlinhos do Bento: ESTOU TE ESPERANDO.....EU e a Poeta EDUCA-SILVA.: Sei que passas Por momentos difíceis. Percebi que estás Na mais completa escuridão Todavia peço-te Para não desanimar nunca Acredite...

Fiando

Fio de linha,
Nós de fiapo,
Fiapo enlaçado,
Laço de fita,
Fitas de seda,
Seda vermelha,
Fiando cetim,
Cetim de linha,
Linha de bordado,
Bordado rendado,
Fios de renda,
Renda de amor,
Amor de  fios,
Fios de mel,
Mel e beijo melado,
Melado de be ijo,
 Beijo no ponto,
Ponto de fio de mel,
Mel melado,
Melado, beijado, amado,
Beijos de mel...fiado.

Sauda-de

Sauda-dade,  minha  flor,
Aroma do meu suntuoso  jardim,
Brancas, vermelhas, amarelas,
Que enfeita e perfuma,
Sempre assim...

Derepente  morreram...
E se foram de mim,
Deixaram  a sauda-de ,
E uma muralha sem fim,
Sauda-de...
Sauda-de do meu jardim,

Me deixou apenas jasmim,
Nesse labirinto de rosas,
De silencio...!
Dentro do um jarro sem fim.

Sauda-de, guardarei as sementes,
Que  me resta!
Semearei  seu aroma,
Perfume de mim.




 Meu pai, minha mãe,
Irmãos... amigos,
Francisco, Maria Flor,
Eles, Edilene,  ela Lala,
 Ele Messias, ela Novinha ,
Petalas da sauda-de,
O vento te  levou,
Para longe... bem longe,

Sauda-de...
Sauda-de;
Saudade!
Sinto voce,

Em cada canto,
Um canto de sauda-de,
Te faço meu lenço bordado,
Sauda-de em fim...



,





 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Inventa-dor

Os sonhos foram inventados,
Por quem sabe inventariar,
As coisas só tem um nome,
Por que tem gente,
Que sabe inventar ,
Vamos aqui combinar,
Vamos embaixo assinar,
Vamos investigar,
Vamos os sonhos aprovar,
As prosas de um inventador,
Que faz as palavras sorrir,
Os sonhos virar sentimento,
A esperança inventar  tempo,
A primavera um principe,
O outono uma princesa,
Do cheiro da chuva uma fada,
Do sorriso um castelo,
Do banco de areia,
Seu teto...
Como criança na areia,
Escorregando na barreira,
A sorrir na ribanceira,
Pulando de uma ladeira,
Como uma folha caida,
Nas asas do rio correndo,
Meus olhos menino brilhando
E de longe acompanhando,
A  proxima parada...
De uma  folha ,
Uma simples folha.
A folha que o rio levou!
Seguindo seu curso,
Como um rio...
Um rio em curso.

domingo, 23 de outubro de 2011

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Apenas

Quero apenas cinco coisas,
Quero no outono,
 A chama que ele traz,
Quero também o verão,
E com ele o sol que aquece,
O corpo e o coração,
Quero da chuva aneblina,
Com aroma da roseira,
Só não quero dormir sem seus olhos,
Não quero ser, sem que me olhes,
Abro mão  da lua na  primavera,
Só para ficar te olhando.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Acontecendo

Nas linhas  de um caminho,
Bordei meu chapéu  da esperança,
Com os pontos do coração,
Fui entrando em cada sonho,
Desenhando cada desejo,
Fiz do amanhã uma renda,,
Com cada  nó enlaçando,
Uma estrela de longe apontando,
O sol da  realidade,
Nascendo...
De vagarinho chegando,
E todo meu corpo vibrando.

Poetando com Carlinhos do Bento: *****UM LINDO SONHO*****

Poetando com Carlinhos do Bento: *****UM LINDO SONHO*****: Minha MUSA... Vc está sempre passeando Pelos jardins de meus sonhos mais belos E pelos meus mais doces Poemas. Fico encantadíssimo com e...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Universo

Me perdi no universo, encontrei varios caminhos, plantei  hortas de  roseiras, inventei muitos planetas, em um  encontrei um sonho, acordado e feiticeiro, entrei na sua magia,  penetrei  em uma luz, que era de uma estrela, embriaguei-me em  seu cheiro, adormeci com seu zelo, não sobrevivi seu apelo, desencantei seu segrdo,  e vivendo sempre nele, vi um menino arteiro, que pintava e bordava,  um ninho de renda vermelho,  tecendo  uma vida inteira ,  era uma pura alma  rendeira!  Ah! lembrei, do sorriso menino, aceso igual candeeiro, iluminava as plantas e a floresta inteira, num descuido rotineiro, encontrei o vagalume na porta do meu terreiro, ao lado um passarinho escutando  os desejos, levando nas suas asas recados de mensageiro.

domingo, 18 de setembro de 2011

Poetando com Carlinhos do Bento: ARGUMENTANDO

Poetando com Carlinhos do Bento: ARGUMENTANDO: Vc estava uma delícia no sonho Parecia de verdade Tinha gosto de desejo E cheiro de felicidade. Sabe, entre nós existe sintonia e quími...

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Agendando o olhar

 Marcada por um gesto de amor,  agendei a   vida,  mudei a cor dos olhos, cantarei a alegria de um sonho, o sonho que trago na pagagem de uma viagem, idas e vindas de emoção, no coração  levo coisas que pesam , em cada parada desembrulho o que não serve mais, vou retirando uma a uma, no lugar de tristeza trago sorriso, da solidão uma paixão, do odio fiz pacotes de amor, embrulhado no papel de muitas vidas, com as  rosas que sorriam para mim, vou pintando o calor da harmonia, com as dores que doia em cada peso, fiz  tapete de retalhos  imaginados, costurei trilhas de saudades, como  brinde  tenho  nas hora o sol, que esconde a noite, e na noite escura as estrelas brilham sem fim,   os pesos que deles desfiz, me traduz sonhos, as coisas leves te trago neste  dia, com  sabor de esperança, te ofereço o outro dia,  meus   desjos de paz e rencontro.

domingo, 21 de agosto de 2011

Um penso

Pensando no amanhã, encontrei a noite convidando as estrelas a brilhar nos meus sonhos,  refletido em uma passagem  do meu caminho que se eternizam em palavras ,  sons que brilham nos sonhos acordados,  que cai  raios na minha mão,  mãos que acaricia poemas, que cantam a emoção e voa nas asas do coração.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

domingo, 14 de agosto de 2011

Meu pai o gênio do amor

Meu confidente de alma,
Meu amigo camarada,
Meu pai minha aliança,
Meu rei,meu professor,
Meu pai um dia amor,
No outro carinho e calor,
Mais no outro era um doutor,
Meu pai assim me ensinou,
Viver a beleza da flor,
Assim ele ditou,
Não seja apenas a flor,
Seja semente do amor,
Plante sorriso onde for,
Cante a ave maria,
Não seja apenas maria,
Seja uma ave que um dia voou,
Escreva na areia do rio,
Não pare como ele parou,
Viva como a agua,
Que ele gestou,
E leve contigo saber,
Onde tu for,
Escute a voz do silencio,
Essa lição eu te dou,
Vou e não volto,
Essa missão acabou,
Obrigada senhor,
Pelo pai que me deu,
Obrigada meu pai,
Eu existo!
Isto devo a você,
Consegui sobreviver,
Depois de você!

domingo, 7 de agosto de 2011

Assumida

Amo viver para  amar,
Viver para sonhar,
Viver e me apaixonar,
Viver como as aguas ,
Correndo  na vida,
Convencendo o mar,
Amar e amar,
Sonhar e vibrar,
Sem tempo,
Sem lugar,
Viver é lutar,
E poder te encontrar,
Nas  aguas da vida,
Que vai te trazer,
Em gotas de  amor,
Para me banhar,
Com teu doce olhar,
Nas noites de luar!







,

domingo, 31 de julho de 2011

Poetando com Carlinhos do Bento: FUGA

Poetando com Carlinhos do Bento: FUGA: "Não duvide da intensidade de meus sentimentos Pois em nenhum momento te esqueci É que estou meio perdido...confuso Acho que foi por isso ..."

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Com sua licença

Com licença poesia,
Ao escritor e  poeta,
Com as palavras que saudou,
Aqueles que me  inventou,
Que me acompanha ,
Nas veredas das palavras,
Essas que se juntou,
No labirinto das letras,
Que uma saida encontrou,
No grupo poematize-se,
Onde só tem doutor,
Cirurgião inventou,
Que sai emendando letrinha,
Costurando umas rendinhas,
E bordando o amor,
 Hoje dia do escritor,
As palavras me agradou,
Mas de mim se afastou,
Ficaranm detro de mim,
Escondidas e se abafou,
Eu queria imitar um poeta,
Que sempre me enfeitiçou,
Mas , ela  a palavra,
Não me explica ,
De onde sai tanto amor,
Nem o caminho,
Para ser um escritor,
Nas escrituras deste papel incolor,
Ruminando sonhos,
Na tela que me pautou,
Vou pedir a Jesus Cristo,
Para guardar os poetas,
Na tela do céu onde for,
Trazer de lá as palavras
Que pode me ajudar,
Decifrar para mim o poeta,
Que as palavras criou.
Que me levou a loucura,
Que de mim não se afastou,
Que marcou a minha vida,
Badalando como sino,
Que na igreja tocou,
Anunciando um  sonho,
Que um dia se apossou,
Desse terreno baldio,
Cheio de metro quadrado,
Onde a poesia aportou,
Sorrindo como criança,
Chorando como uma flor,
No dia que orvalhou,
Descalso meus pés molhou,
Nesse dia a poesia,
Me disse  aqui estou.
Hoje dia do escritor,
Esse dia  consagrou,
A palavra ao seu criador.
Parabéns ao escritor.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Um jeito de querer

Em noites de luar,
Fico só a pesquisar,
Lembrando das poesias,
Que via no riacho a  passear,
Olhando passarinho cantar,
Os galhos se revoltar.
As folhas chiar, chiar...
Já imaginava,
Que ia te encontrar,
Só não sabia onde,
Mas ia te procurar,
Por que assim  me dizia,
As aguas que via passar,
Escorrendo toda faceira,
No riacho requebrando,
Como dançando bolero,
As vezes samba no terreiro,
As vezes muito ligeiro,
As vezes lenta,
Nas curvas a me esperar...
Atravessando barreiras,
Fazendo a alma vibrar,
Cheias de onda,
Uma  poesia parecia rimar,
Eu esperava seus olhos,
Brilhando a me olhar,
O coraçao se agitando,
Toc...toc
 Aguas brancas meu luar,
Continuo no riacho,
Olhando a lua passar,
Te esperando poesia,
Para ver a vida rimar.

.

Inquieta

Ascendeu uma fogueira,
Feita de brasa e carvão,
Suas brasas me queimava,
Feito fogo de vulcão,
As labaredas do fogo,
Espalhou a ilusão,
Eu fiqui toda avermelhada,
Com o fogo desta paixão .

terça-feira, 19 de julho de 2011

AUTO RETRATO

AUTO RETRATO

No retrato que pra ti faço,
Tem traços que te traço,
Me envolvendo nun abraço,
... Um abraço overmundo,
As vezes te pinto desnudo,
As vezes entrando no teu mundo,
Mas...nem tudo que  é luz  reluz,
As vezez te vejo sizudo,
Nunca timido nem mudo,
 Sempre  te  pinto assim,
Numa tela bem singela,
Com  tinta quase amarela,
Os  olhos  de criança bela,
As vezes  pinto como lembrança,
Lembrança do que nem existe,
Te  pinto delineando um  mundo,
Como  sendo o outro mundo,
Um mundo que tem lá dentro,
Com  sorriso virtuoso,
Rriscando o caminho do belo,
Um sorriso Mona Lisa,
Feito com muita emoção,
Por uma pintora tagarela,
Que pinta numa janela,
Sem tirar nem a tramela,
Imagine a ousadia dela,
Acertar  os  detalhes da fera,
Com este rosto que se revela,
Como inistir nesta tela!?

Delirius

Viajei no seu corpo,
Pousei no seu porto,
Sonhei com seu beijo,
Acordei vendo estrela,
Onde  não tinha,
Olhava seu olho,
Mas tu não me via,
Sentia na pele,
O amor que não vinha,
Curtia no teu rosto,
Aquele  detalhe,
Que só eu via,
Delirius de amor,
Você provocou,
Mas um dia amor...
Se não agendou,
Vá se agendando,
Que a festa acabou ,
A gora vamos viver ,
Este intenso calor
Que o.tempo nao esfriou.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

O a -caso

O acaso são momentos,
Que nos traz muita ilusão,
O acaso é solidão,
Traz tristeza,
Traz alegria,
Traz lembranças,
Traz muita imaginação,
Traz dores no coração,
O acaso faz encontros,
Refaz paixão,
O acaso faz o destino,
Traz novas explicação,
O acaso é uma cestinha,
Vazia sem intenção,
Cheia de surpresa,
Embrulhada  com laço de fita,
Momentos de inspiração,
O acaso trouxe vc,
Me entregou seu coração,
O acaso é um presente divino,
Tem o sorriso de um menino,
O acaso???
Só da Vinci explica,
No sorriso sedutor,
Inocente e convidativo ,
Da sorridente  Mona Liza.

domingo, 17 de julho de 2011

Cumplicidade

Quando a palavra perde a força a imagem fala por ela!
Uma flor fala por mil palavras...
Nela confio ...
Sei que irá falar por mim,
Sem traição,
Ela é e serão meu pombo correio ,
Mensageiras da minha emoção,
Recados para amigos,
Abraço para meu amorzão,
Feitiço para seduzir,
O coração,
Que provocou atração,
Se infiltrou no meu coração,
Feito fogos de São João,
Cravou em mim emoção,
Planou-se feito flor em jardim,
Por isto que estas flores,
São cumplice emfim...

Como passarinho

Nasci,  alguém me libertou
Cortou o cordão umbilical,
Sou pasarinho peregrino,
Sou condor, sou beija-flor,
 Sou ternura sou amor,
Sou paixão, ilusão sou o que sou...
No meu mundo tem voôs sem limites,
Sem fronteiras,
Sem rotas,
São as emoçoes na direção,
Delineando as trilhas do coraçao,
Podes me encontrar curtindo a brisa,
Olhando o sol nascer,
Num belo jardim,
Namorando e beijando uma linda flor,
Me deliciando com a seiva do amor,
Livre como se sente o beija-flor,
Podes me encontrar,
Atravessando fronteiras,
Cortando rios,
Atravessando pontes,
Desafiando a Montanha,
Vencendo minhas bareiras,
Transfigurando incertezas,
Seja onde for,
Sou livre sou beija flor,
Sou sencivel,
Sou feita de amor,
Sou passarinho,
Vou  voar onde pousa meu amor.
Perseverante e livre,
Sou condor.
Beija-flor,
Sou Pasarinho,
Sou condor,
Sou liberdade,
Aguerrida,
Abro as portas ,
E as janelas,
Rtiro as tramelas,
E te deixo entrar.

Instantes

Tem algo nascendo,
Por dentro de mim,
Passei conferindo,
Não era jasmim,
Era uma linda rosa,
E um imenso jardim,
Com tapetes de rosas,
Na cor de marfim,
Borboletas voando,
Passaros cantando,
Chuva caindo,
Açude sangrando,
Rios transbordando,
Um fotografo clikando,
As cenas passando,
E eu fui ficando,
Era o tempo se refazendo,
Para uma espera,
Nascida  e escrita,
Pensada revista,
Implicita,
Contida,
Vencida,
Ventilando a vida,
Brancas  nuvens,
Vestida de véu,
Sozinha no céu,
Ora castelo,
Ora tapete esfarrapado ao leu,
Donas de varios castelos,
Celestial,
 Bichinhos, Se desmanchando,
As nuvens andando,
E eu esperando...
Duvidando,
Um domingo frio,
Um dia indo e vindo?
Tua voz serenizada,
As lamentações do mar,
Do vento dos céus, das estrelas,
A tua voz presente,
Ausente...
Quero ver o que tem lá dentro.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Meu castelo

Visitei todo  castelo,
Que por dentro era belo,
Andando devagarinho,
Fui me vendo na  janela,
Ao olhar de outro angulo,
Não via teto nem  aquarela,
Era um castelo sonhado,
Nem parede  tinha nele,
Mas ele era tão lindo,
Que fiquei morando nele.

No jogo da vida

A vida ...um jogo em alerta,
Como  jogo de peteca,
A vida tem repeteco,
Não sei jogar nem peteca,
 Mas  valor  o jogo tem,
O ciume é um joguinho,
Esse  todo mundo tem,
Confesso que é  show de bola,
O cimume feito em pitada,
Nos olhinhos de alguém,
É como jogar na areia,
Com a peteca na mão,
Jogar  neste terreno,
Sem olhar adversário,
Aprimorando o reflexo,
Usando golpe de vista,
Pra descarga psicológica,
Derrubando  as tensões,
Redobrando a atenção,
Pra ela não cair no chão ,
Fazer do ciume uma festa,
Jogar com a alegria,
Com a firmeza de um mestre,
Fazer dele  bricadeira, 
 Jogar com as ferramenta,
Que o coração delibera,
Usar da habilidade,
Acertar no coração,
Da criatura mais bela.
Jogar com a liberdade,
Que a vida nos revela,
Mesmo que seja na tela.

domingo, 10 de julho de 2011

Dono de mim

São tantos...
Loucos envaidecidos,
Apaixonados e sutil,
Tomam conta de mim,
Dominam todo meu ser,
Dizem o que não é pra dizer,
Eles falam por mim,
São tantos...
Saltam  dos olhos como perolas,
Brilham como a luz do sol,
Derepente se escondem,
Andam por dentro de mim,
Viajam por muitos lugares,
São tantos...
Criam corpo e se espalham,
Mas continuam em mim,
Um governante  da vida,
Que não me diz do amanhã,
Sao tantos...
Pensamentos, pensamentos,
Hoje me rendi a ti.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Mais um

Mais um dia,
Amanhã é outro dia,
E mais outro, mais outro,
Tudo igual , manhã e noite,
Sou consumida de dia e de noite,
Minhas esperanças me corroi,
As lembranças doi,
As alegrias me traz mas esperanças,
As fantasias me invadem,
As emoções me confortam,
E mais um dia , lá vem,
Todo dia é só mais um,
E eu na minha anormalidade sendo feliz,
Mais um dia , apenas mais um,
Um dia que traz o outro,
Como se um fosse o outro,
Apenas mais um,
E tudo acontece,
E nada se mexe,
Intenso, feito de neve,
Leve se remexe e mexe,
Apenas mais um dia,
Aparece e desaparece.

domingo, 3 de julho de 2011

O espinho

Dai-nos senhor sabedoria, 
Pra suportar meu pavor,
Minha trilha tem espinhos,
Furando  meu calcanhar,

Mas já que são muitos,
Farei deles um tapete,
Para amaciar as pisadas,
E Livrar meus pés de furadas, 

Viajei por muitas grutas,
Todas sei admirar,
Aprendi não me arranhar,
Nem  garrancho atrapalhar,
Nem   espinhos me espetar,

 Sei como corta caminho,
 Sei  me defender de espinhada,
 Admirar coroa de frade,
Comer fruto de cardeiro,
E aumentar minhas passadas.

As vezes  incomoda as picadas,
Mas gosto de ser catucada,
Por isto que os espinhos,
Só serve para minhas risadas.

Acho linda na roseira,
As flores bem perfumadas,
Mas pra mim o seu sentido,
Fica escrito nos espinheiro.












sexta-feira, 1 de julho de 2011

O outro mundo

O outro mundo é terra que ningém vê/ Mas quando olho pa vc/ Vejo terra sem querer/Há coisas imposivel de saber/ Outras é possivel entender/ Lá por dentro do seu ser/  Bem profundo tem douçura  pra  comer/ Matar fome de desejo, de alegria e  de saber/ Encher o coração  de prazer/ Da abençoada  colheita  do mundo que não se vê /Quem vai la no outro mundo /  Volta trazendo  ternura e vontade de viver/ Um baú cheio de amor/ e muito sonho pra tecer.

sábado, 25 de junho de 2011

Felicidade

Essa linda mulher,
Chamada felicidade,
Vive  piscando magia,
É uma grande companhia,
Ela sempre aparece ,
Vestida de alegria,
Hoje ela me vestiu,
De uma grande fantasia ,
Ela sempre vem trazer,
Sinais que me contagia,
Ela chega de surpresa ,
É só vc captar,
As vezes em uma palavra,
Num gesto, num sorriso ou num olhar,
Ela diz coisas t!ao belas,
Que preciso respirar,
O que acontece comigo,
Acontece com vc,
Já parou pra reparar,
As subtilezas que ela usa,
Para chegar  e acontecer?
Hoje ela me  realizou,
Me premiou,
Contagiou,
Essa tal felicidade,
Que ninguém sabe o que é,
Nunca me traiu nem me enganou,
Hoje ela chegou ,
Como chega todo dia,
Mas hoje ela encantou-me,
Dizendo baixinho, 
Devagarinho,
Parabéns!
Pelo sonho que sonhou.





quinta-feira, 23 de junho de 2011

comentarios

O soriso 'é uma invençao da alma,
Tem sentido universal,
Expressa um flerte, alegria ou afeiçao, 
Pode ser zombaria,
A invençao da magia,
Traz uma mensagem ,
Não adia,
Silenciso como a chuva, mansa,
Cai  suave como a brisa,
Acaricia e refresca,
Desvenda delicadamente,
Teu rosto,
Inventa palavras de bom gosto,
Transforma expressão em palavra,
Aproxima dois seres distante,
Em sitonia,
inventa harmonia e sinceridade,
Para quem sabe amar,
Um sorriso é bem  propicio,
Na tarefa de namorar.
Sendo autentico e espontaneo,
Faz a gente se empolgar.



















terça-feira, 21 de junho de 2011

Descola

Amor é libertação,
Aprisionar é obscessao,
Quem ama se abre,
Desvenda caminhos,
Sai da escuridão,
Te querer livre,
É  medir sua atenção.
Isso  me traz a certeza da sua contemplação,
Sou segura que tenho seu coração,
Vou dormir e sonhar,
Que meu sonho ...
Seja livre a voar  na mais alta dimensão,
E ao retornar  traga tu no coração,
Bem guardado,
E ritmado,
De alto e bom som,
A dizer:
Este é o sino que toca  meu coração.

Mais tarde saberei

Quem sou eu mais tarde saberei,
Sou caminhante, aqui cheguei,
Nesse momento me desnudo,
Lavo a alma,
Continuo a caminhar,
Sem nada saber,
Sei que meu coraçao vibra,
Mas nem dele sei falar,
Sei que olhares profundos,
Nos convoca a amar,
Amar não sei,
O que sei então,
Sei que te amarei,
Mas nem isso sei dizer,
Não sei quem sou,
Mais tarde saberei.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Revivendo

Ocupada por uma voz silenciosa,
Uma voz que grita vaidosa ,
Liberdade, liberdade,
Voz que reinvindica,
Liberdade antecipada,
Liberdade que em tu foi encontrada,
Numa trama de amor e de saudade,
Revivida numa tela desvelada.

Tudo é permitido

Na nossa oficina verbal,
O pecado de pensar,
Foi julgado e vencido,
Hoje a rede social,
Tem passaporte universal,
O amor é virtual,
Os desejos sacudidos,
Parece um vendaval,
Todo corpo é remexido,
Numa onda bem real,
Pensar já foi proibido,
Hje é tudo revivido,
Já temos grandes poetas,
Reinventando a libido,

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Ser-tão

Venho lá do ser-tão,
Povo doce e valentão,
Que gosta de animação,
D e comer carne de sol,
Assada  na  brasa ,
Com farofa acebolada,
Essa é nossa tradição,
Sob a luz de lampião,
Um baile pra dançar chote,
Para mexer o esqueleto,
E dá beijo no cangote,
 Esquentar a emoção,
Na fogueira  de Sao Joao,
Ascender  o fogo,
Assar milho e comer pirao,
Arrastar pé,
 E levar o sol na mao,
Ao som de um safoneiro,
Um zabumba e um triangulo,
Um forro desse jeitim,
Lá no totoró tem fama,
Chegue pra cá meu bichim,
Vem dançar um miudim,
Daqueles agarradim,
Comer galinha torrada,
Feijão verde e soltar festim,
Ascender a fogueira,
E fazer advinhaçao,
Para ver o rosto no prato,
Saber o nome do amado,
Ser compadre e coisa assim,
Ainda sair sabendo,
Se  tem namorado arrumado..

Presenteando

Nesse dia frio e chuvoso,
Dedico a todos e todas,
Com muita dedicação,
Uma linda flor de acácia,
Aos meus queridos irmãos,
Essa flor que é muito grande,
Não cabe na minha mão,
Por isto estou repartindo,
Como grãos do coração,
Ciente que seu perfume,
Não tem cara tem emoção,
Com isso tenho certeza,
Que seu cheiro sai lá de dentro,
Do fundo da alma,
Vibrando de sedução.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Momentos


Sol de minha noite (Zé Luis) Sol triscou em minha pele e passou toda a sua energia. Sol com seu brilho magico, feito de beleza solidificou o regue de minha poesia em cantos fora do tragico. A Sol irradia esperança no charme florescido de seu olhar, que mesmo sem lhe abraçar trouxe para meu corpo sua negritude e seu calor, fazendo-me homem torto sempre em busca do beijo molhado na luz do amor, podendo ser a chave do segredo da bela Sol. Todas as palavras do mundo, de todas as poesias do universo se resumem num segundo: As curvas sedutoras de teu corpo bailando no salão jogando seu perfume em mim. Pergunto-lhe com a voz rouca: Quando vou queimar meus labios no ardente beijo de sua boca?
11/06/11

domingo, 12 de junho de 2011

Amor distante

Namorando e amando,
Sem teu rosto acariciar,
Hoje quero te abraçar,
Meu lindo amado onde vc está?
Amanhã é outro dia,
Espero te encontrar!
Mesmo assim vou te amando,
Até este dia chegar,
Vou apelar pra santo Antonio,
Pra logo te enviar,
Vc distante de mim,
Como vou suportar?
Quero ver teu olhinho brilhando,
E tua boca beijar,
Apertar tua mão,
E teu corpo massagiar,
O destino não te trouxe,
Mesmo assim fou confiar,
Que esse nosso namoro,
Nos 12 de todos os meses,
 Nas quatro estaçao do ano,
 Eu possa  comemorar,
Ésse  amor que encurta a distância,
E une dois corações em um só.

sábado, 11 de junho de 2011

Quero

 Quero,
12 horas do dia,
Quero,
Te guardar no bolso,
Fazer de ti meu colosso,
Quero,
Viver nua igual a  lua,
Me sentir somente tua,
Quero,
Um abraço sem laço,
Enlaçado no teus braços,
Quero,
Sair desse embaraço,
Disse as cartas,
E as letras da cançao,
O que ja estava escrito,
Na palma da minha mao,
Que tem um sol muito quente,
A queimar meu coraçao ,
Quero,
Que o dia fique frio,
E nas doze horas do dia ,
Fazer de vc  travesseiro,
Me enrolar de corpo inteiro,
E viver  as fazes da lua,
Quero,
Deixar acesa a chama,
 Desse amor que como rama,
Se esparrama,
Como se fosse dormir,
Doze horas todo dia,
Com vc AQUI.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Poetando com Carlinhos do Bento: Venha meu amor...

Poetando com Carlinhos do Bento: Venha meu amor...: "Venha meu amor... Venha assim...assim Beba esse vinho Que está em mim... E eu sorvi o vinho e sua pele macia E inebriei-me de desejos..."

O corpo

Todas as palavras ditas,
Nucam irao  falar,
Da agitaçao do sangue,
Quando o corpo  grita,
Sonhando  te encontrar.

domingo, 5 de junho de 2011

Flores

Andei por varios jardins,
Muitas rosas encontrei,
 Rosas de todas as cores,
De todos os nomes,
Com varios perfumes,
Com muitos odores,
Rosas que as mãos perfumei,
Lugares floridos,
Que me encantei,
Cantei a vida ,
Cantei o amor,
Cantei a paz,
Que lindo lugar,
Eu  encontrei,
O  pombo correiio,
Será meu Guia,
Que te levará,
Um ramo de flores,
Com laço de fita,
 E dedicatoria,

Com remetente,
Um belo presente,
Desse Jardim,
A um grande amor,
Que passou aqui.


.

sábado, 4 de junho de 2011

Auleando

Na vida professorando,
Ensinando o BAaBA,
Também ensina sonhar,
Aprende com o mapa mundi,
Que precisa viajar,
Aprende e ensina sonhar,
Usando o globo terrestre,
Aprende  se direcionar,
Ensina e aprende a sonhar,
Visita o templo dos deuses,
Para historia ensinar,
Aprende  e ensina sonhar,
Estuda  a filosofia,
A e prende,
Que para o pacto vingar,
Algo lhe é prometido,
E para ser tudo certinho,
É preciso encantamento,
Os designios de cleoptara,
E um belo sedutor,
No modelo casanova,
Para professorar,
Sonhar, apender e ensinar ,
Na ciência explicar,
O corpo e seu olhar,
Só educaçao popular,
Poesia e poetas,
Para dimencionar,
O mundo e enamorar.
Se apaixonar e amar,
Eternizar o amor,
Simples sonho poemar.
Precisa aprender  sonhar..

Teus olhos

Os olhos que a mim falam :
Me dizem se estão assustados,
Me dizem da sua tristeza,
Me dizem da sua paixão,
Me dizem da solidão,
Me falam da sua alegria,
Brilham ,
Me dizem das duvidas,
Do sim ou não,
Sorrir pra mim,
São seus olhos,
Que me atrai,
São meigos olhares,
Teus.
Ver seus olhos,
Isso basta!
Sentir as mãos,
Receber uma mensagem,
Olhar no olho,
A certeza da recepção,
Ver no soorriso!
Para ser permitida ,
Rejeitada,
Amada,
Ou inibida.
Mas é a sedução do olhar,
Que exala inspiração,
Para uma conspiração,
Seja amor seja paixão,
Eles nos chama a redenção.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Instante

Tirei os pés do chão,
De repente,
Pensei que era verdade!
Fiquei enciumada,
Senti que tinha sido roubada,
Nossa !
Como é engraçado sentir-se amada,
Roubada e enciumada.

Sonhando

Tua presença me insulta,
Fico alegre,
Sorrindo,
Invadida,
Que paixao divina!
Sem ter uma explicação,
Os misterios da vida,
Há de trazer  solução,
Para este amor resolvido,
Cheio de sedução,
É isso que imagino,
Te trazer para meu mundo.
Cheio de sonho,
Meu garoto overmundo.

Endividados

Envolvidos num sonho lindo,
Um sonho pactuado,
Endividados!
Pensando realizar,
Tem essa divida a pagar,
Continuar nesse amor de niná,
Ou,
Decidir num ninho morar,
Se tomar banho de rio,
Ou perto do mar acampar...
Endividados nesse sonho,
A meta é a divida pagar!
Mas a divida continua  aumentar!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Tudo tecido

Esse tecido que te falo,
Não tem fio de algodão,
É um teciso fiado,
Com as mãos do coração,
O tecido rabiscado,
Com um grafite na mão,
Perdeu a inspiração,
A teia aqui tecida,
É fiada com emoção,
Pintada e arrematada,
Com virtualização.
O tecido que descrevo,
É um amor entrelaçado,
Via conecção,
Tudo conectado,
Costurado com destinção,
Esperando o sol raiá,
Para se vestir de realização.

domingo, 29 de maio de 2011

O balanço da rede

A rede que me balança,
Não é a  rede branca,
Que deito meus  sonhos,
Acordo meus desejos,
Repouso meu ser, 
Aporto meu saber lá  do Totoró,
A rede que me enlaça,
É a rede dessa praça,
Onde todo mundo passa,
Só alguns é que me abraça,
Nem querendo que desfaça,
Essa distancia não passa,
Ela é mesma é quem digita,
O caminho desse passo,
Fico aqui do outro lado,
Linkando meu mundo ao teu,
Fiando o que aconteceu?
Só te vejo vendo os dados,
Do teu lado prometeu,
O outro do meu agrado,
Continua encantado.
É muito dificil saber,
O que foi que aconteceu.

Tristeza

Me bateu uma tristeza, daquelas! do tamanho do mundo, não sei de qual  lado veio, nao sei quem deu o comando, nem pra onde vai me levar, só sei que estou um farrapo, feito mesmo um mulambo, meu coração que é perola, virou areia em garimpo, toda se desmanchando, se lá dentro vai ter ouro, ou mesmo anel de brilhante, sei lá o que vai ser! Tudo mexeu comigo, feito chumbo em guera fria, só sei que perdeu o rumo, competir não é meu ramo, disputar o meio do mundo, tem que aprender da cano, que se delata em sumo, meu coracao  que tem sangue, corre nas veias, transborda e não quer  parar,  o jeito é  fazer das pedras riacho pra agua andar ,  esse amor que me tomou,  sereno e  muito atrevido, ta no comando do meu ser, sem   jeito de transpirar, preciso encontrar caminho pra essa agua passar, lavar a alma e no rio me banhar, livre sem me afogar. 

sábado, 28 de maio de 2011

Deu no portal

Vou montar um jornalzinho,
Tudo bem profissional,
Meu pretexto é teu portal,
Vou imaginar você aqui,
Na minha linda Capital,
Que tu sejas nos teus brios,
Quando buscares a gloria,
Altivo nos desafios,
Mas humilde na vitoria,
Curtindo a alegria, 
E recebendo atento,
As belezas ao teu redor,
Na certeza de um alento,
Meu devaneio se solta,
E escuta, na voz do vento,
Tuas passadas em volta,
Escrevendo toda cena, 
Na tabuada do amor!
Vou mapear uma cena,
No corpo do litoral,
Recebendo uma prenda ,
No  pôr- do- sol potiguar,
No  Rio Potengi,
Bem na pedra do rosário,
No lugar que  é real,
Discreto, não tem igual,
É assim em Santos Reis.
Ave Maria de Gounod, 
Praieira,
(Serenata dos Pescadores),
Poema de Othoniel Menezes,
E Trenzinho Caipira, é  Vila Lobos. 
Toda terça e quarta-feira,
Tem inicio ao entardecer,
É cultura pra se ver,
Na cidade Potiguar,
Pode  ser passeio de barco,
Poeticamente correto,
Para inspirar os artistas,
E embriagar os poetas,
Um lindo cartão postal,
Só o mundo é um rival,
Nas mãos  que se revela,
Na  subtileza da musica,
  No abraço num passeio,
Invadindo suas margens,
Nesse presente de Deus,
Na boca do do Rio Potengi,
No encontro do céu com o oceano,
Meus cabelos,
Se enrosca tudo ao som do violino,
Meus olhos se vira em  sol,
Esse que vai seduzindo,
De pertinho a contemplar-te,
O rio  Beijando o mar,
Todo cheio de energia,
Prometido e afagado,
Embebido  de magia,
Duvido não acalmar.
O coração  que pulsar,
Com a noite,
A  beleza do seu dia,
É um convite do dia,
Mas... te  aconselho a ficar,
 Que venha, mas ...venha,
De mala e cuia!
Esse nó que nos enlaça, 
 O destino que desfaça,
Esse sol abraçando o rio,
Que se encontra com o mar,
Não tem como disfarçar!


sexta-feira, 27 de maio de 2011

Combinado!

Eu começo com a lettra C,
Tu me traz  somente o A,
Peço aos meus amigos,
Para me escrver um R,
Recorto o L,
Pinto O,
Desenho o S,
Depois juntarei todas,
Monto um quebra cabeça,
Faço um joguinho infantil,
Um jogo bem artezanal,
Veja como é legal,
 Esse jogral?
Com C escrevo carinho,
Com A escrevo amor
Isso é uma Rotina, 
Olhar a Lua la em cima,
Namorando  O  por do sol,
Que vem do pico Saindo,
Enfeitando  e dando sinal,
Feito bola de cristal,
Parecendo um combinado,
Numa noite de Natal.

Será?

Quem é este radiante,
Quem é este menestrel,
Que espalha esperaça,
E transforma sal em mel,
Quem é esse  que penetra,
No mundo como um jornal,
Invade meu patanal,
Feito passaro no quintal .

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Um aceno


Não sei o que aconteceu, fui remar em aguas profundas,  mas na rasa  afundei,  era  clara e naveguei , também avistei a  barrenta e quase tudo enfrentei, mergulhei em alto mar, e foi la que me encontrei,  mas de longe um barquinho,  tinha  um lenço  e  um aceno,  foi isso que me conteu,  voltei leve como uma pena , por  lá avistei uma tenda,  foi por causa dessa cena que ao  porto fui sem venda, pensei : essa vai ser minha pena,  nos meus olhos só tem uma prenda, seu sorriso!  esse  traga -me sem pena. Se guerreiro, ou  dragão só sei que invade a cena, eu sempre muito serena, nunca esqueço do  tema, o carinho e o poema que me traz de volta a tenda. EU pescadora,  me entenda,  não me rendo a este mar, o mar ficou pra remar, vou amar o mar e amar.

terça-feira, 24 de maio de 2011

O feitiço e o encanto

Um certo dia  veio de  lugares bem distante, uns  inocentes,  os dois eram feitos do encantamento,   passavam sempre  no mesmo lugar, se olhavam de longe,  um dia  resolveram conviver no mesmo espaço, era um belo castelo . Bela que havia chegado  e se encantado com o lugar, convidou a Fera para curtir a vida no mesmo castelo, os criados e a corte não entendia, tinha bruxas, rainha e príncipes , tinha uma rainha cheia de misterios,  não entendia o que acontecia com aqueles inocentes ,resolveu fazer um feitiço para desfazer essa confusão e.. tentava, tentava, ela não sabia que a bela teria prometido um beijo a fera, para que ele  desencantasse para ela, eles eram felizes, gostavam de livros e poesias, curtiam a natureza,  amavam a liberdade, pareciam se amar, ninguém sabia que o encanto só poderia ser desfeito se eles fossem beijados por outra pessoa, sem perceber a fera foi beijada por uma princesa e se encantou , a bela quase morre de saudade, caída nos cantos, não sabia mais viver , era sabido do seu amor pela fera,  resolveu ir a procura do seu amor e lembrou  do beijo, ela precisava de alguém para  desfazer o feitiço...foi ao jardim e havia lá uma fruta chamada amor,  diziam  que quem comer dela desfaz qualquer feitiço , e foi assim que a fera desencantou, encontrando a bela quase morta, desabonada  pela sua ausência, já se sentindo feia,  ao ser beijada pela fera ficou sabendo que era amada,  e pensou : a verdadeira beleza esta no coração pensou Bela, assim ficaram no mundo da fantasia muito tempo, saindo num passe de magica para viver  com o beijo do  encanto..

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Amor inocente

Amor inocente é demente, não ver  amor recente, decente, pertinente, é invasor, abrubto, transcedente, invade agente, se solta por dentro e grita diferente, inocente  nasce e já vai crescendo, não mente, fica retido nas arterias fervente, amo ser esse amor inocente, que te traz pra perto, que mexe com  coração e mente, doce amor de momento, provocados pelo tempo, lagrimas de saudade, olhos de espera, sonhos estrelados denunciados, sonhos abençoados, meu sonho é você, o mundo desabe, as estrelas podem cair, o sol respirar de outro lado sem fim, a lua escurecer a noite pra mim, as flores se despetalar, as folhas cairem , o mundo  se acabar, desabar, só não pode acabar esse amor sem fim, esse amor doce , esse amor bem querer, que derrete meu querer, que não pretende te perder, amor inocente meu bem, meu querer vc pra mim, Inocente amar assim.

olhos do amanhecer

Olhos do dia, vitrine de outra via,   traga luz, ilumine a trilha que desvia dessa luz, corpo que se joga e se apropria, chega a noite forjando outro dia,  outro rosto pintado, uma tela  vivida, colorida,  outro tema,  sopro de vida, vivida,   dramatizado  palco de todo dia,  o amanhã que  chama, que clama ,  reclama, que sacode o universo, balança a alma   e estiliza  o ser,   canta o amanhecer , eu e vc, eu só sem vc, vc era eu, eu ...pensei era mesmo vcMeu outro dia me deixa ser e renascer neste amanhecer.

domingo, 22 de maio de 2011

A metade

Um passeio no jardim que plantei,
No lugar que aqui deixei,
Um jardim que encontrei,
Um jardim oferecido,
Um jardim que me tem,
Um jardim apenas...
Um jardim sem fim,
Com poemas floridos,
Um brinde de vinho TimTim ,
Com flores pra mim,
 Minha flor de jasmim,
 Flores pra meu beija flor,
Flores de todas as cores,
Muitas flores ,
Flores que me encantei,
Flores que nunca pensei,
Flores que daqui olhei,
Flores que sem ver me apaxonei,
Flores que jorra beleza e pefume,
Flores do perfume que ganhei,
Flores em palvras poemadas,
Palavras perfumadas,
 No tapete que pisei,
Um tapete colorido,
Um tapete  bem lilás,
Flores do meu jambo que cresceu,
Na foto que registrei,
Foto de imagens marcadas,
 Era espinhos e na roseira me marquei,
Espinhos que perfuravam ,
Que rasgou um coração torurado,
 E fez sofrer,
 Espinho da saudade,
 Espinho dos amores ausentados,
 Espinho que nem vi mas  marcaram ,
 Espinho espetado,
  Espinhos entre  rosas,
  Espinhos do  silencio,
 Teu silencio que quero ouvir,
Os espinhos do teu querer,
Os espinho do viver,
Espinhos  que arranquei,
Espinhos daqui, dalí ,
Espinhos do meu jardim,
Meu jardim...apenas,
Metade de mim é flores,
 A outra metade jasmim,
Sou sempre assim,
Metade de mim cala, metade grita ,
Metade é cansaço, metade um vulcão,
Metade adormecida no teu sonho,
Metade acorda a madrugada por ti,
Um jardim de flôr e espinho.
Um jardim poemado,
Com tapete de cetim,
Feito de amor  assim.
Uma  roseira colorida,
Com espinho e perfume,
Meu jardim de primavera.
O jardim do bem te vi.
Meu jardim é meu passeio,
Vou ti curtir mesmo assim.
Molhar meus pés,
E sentir  nas gotas da tua lagrima,
No orvalho da brisa que sorir no amanhecer.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Deu vontade de voar

  
Eu  vi um Bem -te -vi cantar,  ele cantarolava  para mim, é só olhar e verás ele dizer assim: Bem- te -viiiiiiiiiiiiiiiiii

MEU DIA NASCE ASSIM
Aqui  no meu pé de jambo,
Sua fruta eu como e lambo,
Tem lá   um despertador,
Namaste,
O deus que habita em mim,
É o deus que habita  em você,
Sinonimo de mim,
Desperta o amor, em fim,
Me acorda e me entrega o sol,
Todo dia cantarola pra mim,
De as asas abertas fazendo chamim,
Bem- bem, bem- te -vi,
MEU DIA NASCE ASSIM,
Um certo dia  só ,
No outro com meu xodó,
Mas que dia xororó!,
ACORDEI, o dia acordava,
Era o sol que me guiava,
E o bem te vi  anunciava,
Bem assim,
O dia tinha uma luz,
Uma luz que irradia pra mim,
Indicando um jasmim,
Jogando um cheiro sem fim,
Foi assim,
Passei no meu jardim,
Colhi flores,
Escutei o chamado bicho do amor,
Meu bem-te-vi,
Seu encanto é igual o menestrel,
Sempre assim,
Meu trovador  errante,
Saindo da corte, 
Jogou-se na sorte,
Sua boca pinga mel!
O seu canto é meu trofeu,
Fico leve,
Chego a sonhar,
Que um dia  voarei até o céu.

sábado, 14 de maio de 2011

As entrelinhas

 Fiando uma teia nas entrelinha da vida, fui segurando o fio e dando nó, fui deixando  arrumadinha  feito  ponto rococó, seu desenho parecia   aranha no seu filó, fui amarrando os pontinhos e pensando meu luar, em cada ponto seu olhar, na menina dos seus olhos, fui costurando uma gravata, pra laçar o teu amor, dei um laço e no embaraço desatou um desabafo, quase perco meu amor!

Poetando com Carlinhos do Bento: OPOSTOS

Poetando com Carlinhos do Bento: OPOSTOS: "As vezes eu sou noite...tu és dia. Não adianta esconder Te procuro não encontro Dentro de meu viver. As vezes eu sou Terra...tu és mar...."

Poetando com Carlinhos do Bento: DÚVIDA de Silva Maria do Carmo.

Poetando com Carlinhos do Bento: DÚVIDA de Silva Maria do Carmo.: "Se eu soubesse, que plantando letrinhas colheria POESIA. Plantaria um campo enorme de palavras...só pra colher um POETA."

terça-feira, 10 de maio de 2011

O poeta fingidor

O poeta é um fingidor ,engana o coração e o amor, finge que ama, finge que é amor,  se esconde na velocidade do disco voador, e aterriza com as dobras do amor!

Poetando com Carlinhos do Bento: POETISA/PASSARINHO http://ospingosnosis.blogspot.c...

Poetando com Carlinhos do Bento: POETISA/PASSARINHO http://ospingosnosis.blogspot.c...: "Sou Poetisa amante dos pássaros Me inspira sentí-los cantar Anunciando e decodificando O que quero interpretar. Com eles aprendo o que ..."

segunda-feira, 9 de maio de 2011

A sua doçura

Poeta Francisco Cândido

A sua doçura

Você é Carmo, um nome de origem hebraica,
Que significa amável, expressiva, serena...
Tem comportamento de uma pessoa laica.
Tudo isso, e mais, ela é a minha morena.                

Ama o ético, a moral e na política é critica,           
Tem uma consciência do coletivo, é cidadã
Ama a vida vivida, sofrida, amada, é poética,
Sonha com a aurora de um novo amanhã.

Um amanhã cidadão, feito de esperança
Tecido no coletivo com fios de algodão mocó,
Assim, com tanto amor, a esperança não dança
E em ti, amor, a sorte jamais será cotó.

Ela tem a doçura de uma jabuticaba
Amada, idolatrada, é a minha Duca
A nossa amizade sincera não acaba,
Pois temos a competência de quem educa.

O invasor

Devagarinho sorrindo,
Sem modestia ele chegou,
Cheio de ternura,
Com olhar de anjo se  anunciou,
Com lisura seu poema penetrou,
Duvidei!
Exclamei!
Foi uma flechada,
Que Sao Jorge enviou!
Acentuei,
Não era anjo,
Não era arcanjo,
Não era santo,
Não era nada diferente ,
Não era apenas amor,
Era um invasor,
Feito  abelha na comeia!
Foi chegando e se infiltrou,
Cheio de mel,
Adocicado,
Ferruando  coraçao,
Feito abelha numa flor!
Nao sei, nao sei,
De onde vem tanto amor!

sábado, 7 de maio de 2011

O fim sem fim

Bom dia sem fragmentos, bom dia inteiro e vibrante , bom dia com vinte e quatro horas, todo enfeitado, feito do molejo da baiana da Bahia, com colares coloridos,  batuque  e musica tim,tim, tudo arrumadim, feito festa  do dia de Cassia, a Santa Rita que o povo ama  aqui , tão grande que parece  foquete, rarefeito dos  astros , aqueles que nem se sabe seu fim. Esse bom dia hoje, tem endereço e tem  fim, ninquem sabe por que esse dia, é tão especial assim, só eu sei que dia é esse ,que registro e deixo aqui, esse dia não é meu, mas de mim  partiu  e com um fim, aterrizando no seu aeroporto,  te via passar por mim , cheio de  poder, poder de receber e doar,  de se transformar pra mim, fazer  um dia  assim,  brilhante como  raios de sol daqui,  com a boniteza das flores em jardim na primavera,  brilhante  como noite em  reveillon. Esse dia é pra você  meus amores, neste  dia  chamado hoje, um dia da treavessia do fim sem fim.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

palavrariando

Uma loucura  sem ser de doida,
Me invade,  me consome e me invaidece,
Toma conta do meu ser,
É isso que sou, uma loucura,
Não sei quem sou e nao sabendo,
Me perco em mim,
E fico me procurando,
Não encontro nimguém dentro de mim, só eu,
E meus amores,
E de repente esstou cheia de mim,
Sem espaço,
Não sou o que sou,
E fico catando amor,
Catando calor,
Catando meus poemas,
Vou em Cassia, entro em Cecilia,
Dialogo com Flor bela,
Escuto Clarice,
Leio Quitana,
Compro Cordel,
Me inspiro nos poetas,
Faço verso sem rima e canto a poesia,
Sou essa lloucura boa, atoa.
Loucura que ecoa,
Sou apenas o que penso,
E pensando sou, o que nao sou.
Mas serei sempre uma loucura,
Desgovernada, desenfreiada, silenciosa,
Apaixonada, pela vida,
Pelas flores e pelo outro,
Por mim e pelas aguas,
Pelos rios que flui na correnteza,
Pela ponte que me traz a travessia,
Travessia que me leva  até mim ,
Me leva ao outro, eu dentro e fora de mim,
Sou apaixonada pelo canto do passaro,
Pelo ben-te -vi que me acorda,
Que me acompanha no ritmo do dia,
No chiado das folhas sinto enloquecer-me
Misericordia ao vento te peço,
Não sei por que que derruba petalas,
Petalas onde quero me agarrar,
Petalas que agarradas sao lindas ,
Lindas como sao teu poemar.