Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

É muito tempo

Como o tempo passa devagar,
Minutos, horas, segundos,
Dias sem contar,
Por vezes uma eternidade,
Sempre muito devagar,
As vezes voa sem avisar,
Há dias que não quer passar,
Quanto tempo o vento leva para soprar,
É tão rápido que não se consegue pegar,
Devagar ele resfria um olhar,
Migra sem querer parar,
Volta sempre e fica no ar,
Leva o  barco em alto mar,
Me trás de volta em ondas o mar.
Levou meu cabelos em fios ,
E fez voar...
Um tempo calmo,
 Me acalma meu mar,
Que vento frio no ar.



sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O silêncio

O silêncio grita e doi,
Queima igual a brasa,
Ferve feito leite,
Borbulha com ardor,
Faz o sono ficar leve,
E o coração em alerta,
Os nervos a flor da pele,
 E se torna dor,
O silêncio é uma fala sem cor,
Quando o barulho é grande,
Por dentro desbota ,
 E por fora furta a cor.


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Sonho doce

Na rede da vida,
No balanço amor,
No sopro da noite,
Um doce louvor,
A vida me trouxe,
O vento levou,
Meu doce , meu love,
Meu sonho de amor,
Doce  lua nova,
No horizonte apontou,
Será que S. Jorge não acordou?
Um sonho doce na lua vibrou,
Na fase crescente se iluminou,
Nasceu um sonho nobre,
Um eclipse se formou no céu do coração,
A lua e o sol se conjugou,
Um sonho doce virou lua cheia,
Cheia de ternura...









segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Falta palavras

No silêncio que  destrai,
E que destrói o silêncio,
O silêncio me atrai,
Um silêncio que domina,
Que nem as palavras saem,
Falta letras, faltam silabas,
Faltam as palavras...
Nada de mim sai,
Não sei onde fostes,
 Nem onde estás,
Me diz palavra,
O que se faz,
Se tu não fala nem ai,
Sem tu minha palavra,
Nem um texto se refaz,
Meu poema sinto que morre,
Sinto  falta é do teu gás,
Que ascende a lamparina,
Da palavra que se vai,
Nem para ler destino,
As palavras me serve mais,
Ah! silêncio...




sábado, 19 de janeiro de 2013

Em fim!!

Você me domina,
Me leva onde vai,
Não sei onde andas,
Nem  o que faz,
Distante de mim,
Ausente jamais,
Uns dias atras,
Um mundo de paz,
Que se desfaz,
Eu vou contigo,
Com a lua radiante,
Crescente ou minguante,
Com o sol brilhante,
Sorrindo  distante,
Meu mundo tenaz,
Você é assim,
Um sonho  sem fim,
Parece verdade,
Brotando nos campos,
Raiz do meu pranto,
Que planto e replanto,
Meu pé de silêncio,
Gritos de mim.
Você é assim!!
 Um pé de brandura,
Uma doce aventura,
Vaidade e magia,
Alegria...em fim.










sábado, 12 de janeiro de 2013

Ruminando


Tanajura no sertão,
Voa com permissão,
No voar de meu olhar,
Minha casa estrelada,
Com a lua a namorar,,
Ver como vaga-lume,
Com você vou recordar,
Quero ver os passarinhos,
Fazer ninho e cantar,
Nunca vou ser sabiá,
Beija-flor vou contemplar,
Os passos aqui na terra,
Me prende neste lugar,
Vou arrancar a raiz,
Da arvore que plantei lá,
A copa longe daquela arvore,
Nem pássaro, nem ninho,
 Nem piá.
Só asas no pensamento,
Uma andorinha no ninho,
Vida.. que me traz sombra,
As folhas escuto chiar,
.Vida,..vida...
Onde vou, vou te buscar,
Saudade, liberdade,
Ensinar o caminho eu não sei,
 No castelo que eu mesma levantei.
 Nem mesmo a semente que plantei,
Eu sei de onde veio.
Mas veio, 
E a lua detraída,
Esqueceu de ver o sol,
Nascendo pra brilhar.,
 Felicidade e carinho,
No olhar,
Nas narrativas,
Nas metáforas e no olhar.



terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Me leva

Ventania onde vais,
Me leva nos teus braços,
Me solta em outra estação,
Me deixa viver  no verão,
Dormir na primavera,
Acordar no inverno,
Passear no outono,
Olhar a tempestade passar,
Deixando o lenço branco esvoaçar,
Enlaçado apenas nos dedos,
Sem de mim desapegar,
Belas voltas tu consegue no ar,
Me deixa respirar,
Sem seu frio só sinto calor,
Me leva, me tira deste calor,
No sertão um ventinho,
Tira até sinal de dor.
Vou contigo viajar onde tu for,
Só me deixa em uma sombra,
Quero uma arvore redonda,
Com muitas folhas chiando,
Os pássaros se aninhando,
E tu passando...leve e solto,
Me acariciando,