Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 5 de julho de 2015

reflexão.

Lugar de desamor , abre feridas, gente desalmada provoca hemorragia, cria sangria na vida,  mata sonhos, não alimenta a sabedoria da água , desfaz o rio; muda seu caminho e joga  enxurrada de lixo  na esperança.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

A janela

O sim senhor e o não senhor!
Foi um pássaro que contou;
Andei por terás  áridas,
Desertos e vargens,
Passei em rios sem água,
Terra sem pasto,
Arvore sem flores;
Entrei em outros mundos,
A casa enorme, 
Cheia de sonhos,
 Abri as
janelas para o sol,
Caiu garoa...
Passei o dia pensando,
Senti  do alto da montanha,
O sim senhor, não senhor;
Naquele frio silencio,
As lagrimas do meu amor,
Pensamento e  ausência,
Presença do meu amor;
Do suor e do calor que desbotou,
A temperatura alta no ventre do não,
Vigoroso sim entoa ao som das folhas,
O vento que passa e volta o que dirá;
Ontem, hoje  e amanhã o que será!
Cheiro de chão, aperto de mão,
Emoção no coração,
O preguiça atiça a vida,
No pimenta o pássaro voa,
Traz uma mensagem no canto,
Meu encontro é com o vento,
Vento que passa e que voa.
No sitio preguiça lá na  pimenta.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Rei mando

Não viver um sonho,
É viver sem um laço,
Um abraço...
Fatias de vida,
Caminho traçado,
Doía  na estrada,
Espinho afinado,
Perfurou o corpo,
Sangrou sem arder,
Um braço laçado,
Uma mão pontilhada,
Um olhar apertado,
Vida rimada.




sábado, 11 de abril de 2015

Para não morrer!

Como viver neste mundo!
Se só tenho agora você,
Te encontrei por a caso,
Será possível que é isso mesmo?
Assim  eu me perco ,
Me acho um fiapo,
E nada de você.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Sentir-se!

Este mundo dos sonhos,
 É um mundo invasor,
Atravessado por linhas invisíveis,
Pontos extremos,
Dias contados,
Noites de lua sem fim;
É ver o outro mundo,
Nos mundos claros,
Videntes, sente-se!
Um sentir, sentindo-se.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Orvalho em gotas

Senti a gota do orvalho ,
Pingos de chuva sentida,
Molhando o corpo da alma,
Roupa no corpo pregada,
Braços entrelaçados.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Teus olhos

Foi na porta dos teus olhos,
Que encontrei um sorriso de passarinho,
 Doce como amora,
Vasto como os campos verdes de outrora,
Corrente feito os rios da vida,
Aparece nos olhos  adormecido,
São sonhos acordado; sorrindo,indo.

sábado, 21 de março de 2015

ô de fora !

O mundo desabitado em mim,
 Foi invadido , lá mora sonhos,
Desejos e amores sem fim,
Esse mundo tomado,
É um mundo fora de mim,
Que é dono de mim.

sábado, 14 de março de 2015

A janela secreta



Um trovão; e vários raios em pleno verão atravessam o arco iris do céu dos meus sonhos, um dos raios caiu bem embaixo dos meus pés, arrancou a arvore onde tinha sombra, fiquei no sol, ai como é quente esse sol do meu mundo ,arde feito pimenta em grande dosagem. Ainda bem que só meus sonhos navegam, ainda vivo e vivendo estou livre para ver as folhas voarem pelas brechas da minha janela.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Via láctea

Via láctea
Me joguei nos braços de uma estrela, 
Resplandescente e brilhante,
Brilho que reluz no arco-iris,
Lilás, azul, cor de anil...
Poesia, corpo desnudo,
Me vista de luz.

quinta-feira, 5 de março de 2015

poeti-amo


Viver
Se um dia o vento soprar as folhas dos seus sonhos,
E espatifar seu poema,
Sinta a brisa do mar colado nos pés da vida,
Pergunte a lua cheia o que fazer com seu coração,
Marque um encontro com sua alegria na lua nova,
E faça um cordão de letras para enganar a poesia,
Se mande no mundo da emoção,
Cantarolando a musica do amanhecer,
Que o galo canta no pingo do meio dia,
Anunciando a Ave Maria do amor,
Do Carmo

Surpresa
Quando você pensa que nada existe,
È por que não existe o nada,
Você nada em águas profundas,
Por que não aconteceu;
E continua nadando em busca de águas claras,
E fundas; em busca de um coliseu.
 Do Carmo

Amantes
Olhos que são só meus,
Onde tu pisca sonhos de hebreus,
Vem piscar em meu terreno,
Ou   alugo um sono teu.


 Do Carmo

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

A fome


Meu amor quando te vejo,
A dor bate no peito,
Já sei que é fome,
A fome que me devora,
Se alimenta de uma  paixão surda;
A paixão que não é de agora,
Nasceu como um pé de aurora,
Agora só cresce!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Talvez

Está ficando insuportável,
Talvez o vento leve o tempo,
E quem sabe um dia,
Um sopro parado no tempo,
Não tire o sono;
E não leve para longe a ventania;
Ele o vento; 
Redemoinho; 
Furacão indomável,
Talvez um breve e suave sopro.

Tavez

Te vejo nos sonhos,
 Acordo sonhando;
 e continuarei este sonho,
Uma realidade sonhada,
Talvez!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

tudo flui

Me perdi  por muito tempo e me encontrei, em questão de segundos achei ,  ainda não sei o que,  também acho que nunca vou saber; o tempo não tem dono, nem comando , o tempo flui como um riacho que leva tudo que tem na frente, deixando suas marcas, enganchadas ...nas rochas sedimentadas.