Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 29 de março de 2011

Dúvida

Se eu soubesse, que plantando letrinhas
colheria POESIA. Plantaria um campo enorme de palavras...só pra colher um POETA.

CASTIGO CIGANO

Uma alma aprisionada
Na clausura da solidão
Escorre dos olhos uma lágrima
Escondida no coração.

Despediu-se do corpo um cristal
Que brilhava na dimensão
O anel que firmava
Laços de emoção.

Quebrou-se como vidro
Estilhaçando-se na parede dos sonhos
Como aalma cigana se foi
Levando consigo seu violão
E a música que acendia o fogo
Que encantava as rodas de lua cheia.

Vazio

Quanto abri a janela , logo vi uma luz, uma luz que ascendia e brilhava, continuei seguindo e seguia, e a luz acescendia por dentro, ascendia mas forte, derepente não era uma lua, não era o sol, não era um asteroide, era um lampião, daqueles que iluminava o salão, luz do  baile da minha terra, é só  andar para traz  e perguntar a memoria, ela registra e sabe direitinho, como é  essa   luz que não se apaga. 

O olhar

Vi um corpo eletrizado, uma alma exuberante, vi no olho meu delirio, no sorriso meu encanto, uma cortina na frente enfeitada de cetim, como se fosse uma nuvem, não era nada, era mesmo essa tela que não permitia meu olhar por fora só por dentro, mas prefiro olhar por dentro e ver por fora!

domingo, 27 de março de 2011

Acordei

Sabendo que o dia vem, fico logo espivitada, a noite pra mim é sonho,  é viver dormindo estando acordada,   o cheiro da noite  me alivia, o calor do dia  chama  a continuar, a parar, a reclanmar , a noite  me traz silêncio, me taz a solidão, me leva nos ombros e me deixa na cama, me faz pensar se posso acordar, com este sonho  meu amor, posso travar um pacto de vida, vida que não cansa de me chamar pra viajar nesta paixão, paixão que é viver sem contar o tempo desse sonho que  traz  a terra a meus pés e me leva a voar, levada por esta paixão vou pedindo licença ao tempo e vou me deitar.

YouTube/Carnaval - Clipe de Abertura para o Carnaval de Salvador 2011

Ser feliz

Por quê será? a felicidade é assim mesmo descomplicada? sou feliz e não sabia

E que as coisas sem futuro nos dão prazer! ouvir o canto do mar, suas ondas a delirar, suas idas e vindas se dobrando pra voltar, o passarinho no ninho e uma gaivota a cantar , o arco-iris no alto e uma nuvem a passear! sentir o perfume das rosas, tomar banho de cach...oeira e penetrar no pomar, tirar a fruta do galho e chupar sem se melar! é isso que gosto de fazer, penetrar na felicidade, usar vestido de chita e cabelo enrolado, amar a tudo que quero e querer tudo que amo, garanto que nem um dia, voces irão me ver, correr do pingo de chuva, é isso ! vou entrar no baile da madame dançando com o conde.

Poetando com Carlinhos do Bento: SERÁ ?

Poetando com Carlinhos do Bento: SERÁ ?: "Vc está plantada dentro de mim Rego-te todos os dias com a minha saudade Sonho com vc brotando dentro de mim. Será que Setembro me trará vc ..."

Por dentro

Minha vida, meu viver , um pé no mundo, outro lá por dentro, no interior que se respira, sem pressa, sem se apoquentar, é pra lá que vou, é aqui que estou, no inteior do lar, da cidade, do mundo, no Seridó, o lugar onde as pedras falam sem gritar. Aqui te chamo pra sonhar, no lugar de se encontrar.

sábado, 26 de março de 2011

O forjador brincalhão

O mocinho forjador, finge que dança, nem se mexe, sorrindo e descomplicando, entra e sai fazendo graça, forjando ser inventor, diz que é principe, diz que é rei, seu olhar vai sendo cumplice, do sorriso traidor,  um dia mocinho tu desencanta, e encanta  seu tovador,  seu encanto tem veneno, ou tem agua a  vapor, respingando lá na alma, a nobreza acalentou,  com toda  sua leveza vai se tornando o  mentor. 

Poetando com Carlinhos do Bento: MEIGUINHA

Poetando com Carlinhos do Bento: MEIGUINHA: "Minha menina tão meiga Tão cheia de energia O que mais me encanta em ti É a tua doce energia. Estás sempre tão disposta Querendo sempre aju..."

Vira e mexe

Entrei por uma porta larga como o vento, olhei o sol pela janela, vi a lua clareando , a noite chegando, um silêncio tomava conta de tudo, de repente da janela sobrava as brechas, vira e mexe se  ouvia o canto do bem-te-vi, ainda na janela, vira e mexe se abria uma cortina de ar soprando felicidade!

Via-j-em

No mar a navegar,
Tentei não afundar,
Entrei de mar a dentro,
No barco a velejar,
Eu só queria via-j-ar,
O medo de afundar
 Fez eu não me afogar!