Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 16 de março de 2014

Bonito e feio.

Fui buscar uma certeza,
Encontro com bonito e feio,
No encontro com o bonito,
Tudo era tão feio!
 O  bonito  veio trazendo  incertezas,
Como gostar do bonito se ele é  todo feio?
Não sabe ser o que é ,
Só é o que sabe ser,
Assim o feio e o bonito,
È feito de um olhar!





Achado.

Andei de porta em porta,
Batendo o  sino do chocalho,
Procurava uma casa,
Que nunca mais encontrei,
Ouvia dizer que  é um espaço,
Passo a ver entre o abismo e um vulcão,
Com lentes do coração,
Flutuando sem paredes,
Sem teto e sem telhado,
Quatro parede grudada,
E uma certeza ao meio.

Poetando com Carlinhos do Bento: A FÁBRICA DE DOCES.

Poetando com Carlinhos do Bento: A FÁBRICA DE DOCES.: NA ADOLESCÊNCIA PERGUNTEI Á MEU PAI: PAI, O QUE É SEDUÇÃO ? E ELE CONTOU-ME A SEGUINTE HISTÓRIA: NA VIDA MEU FILHO, CADA UM VIVE VENDEN...

Sem comentários,  vamos construir a fabrica do amor.

Poetando com Carlinhos do Bento: A FÁBRICA DE DOCES.

Poetando com Carlinhos do Bento: A FÁBRICA DE DOCES.: NA ADOLESCÊNCIA PERGUNTEI Á MEU PAI: PAI, O QUE É SEDUÇÃO ? E ELE CONTOU-ME A SEGUINTE HISTÓRIA: NA VIDA MEU FILHO, CADA UM VIVE VENDEN...

Se é uma fabrica  que falta,não pode nem pensar em demorar, como fabricar o amor se já vive a namorar...

domingo, 9 de março de 2014

Sem sair do salto

Mulheres de rasteirinha,
Faz um homem rstejar,
È assim que uma mulher,
No salto ,
Do salto não sai,
Nem mesmo cai,
O salto de uma mulher,
È do tamanho de um sonho,
Quanto mais baixo pisa,
Mais alto é seu salto.

sexta-feira, 7 de março de 2014

hoje e sempre

Como uma deusa,
Na cor de anil,
Vestida de azul,
Com tranças compridas,
Na janela da vida,
Colhendo jasmim,
Nem sempre é assim,
Descalço vagando,
O céu contemplando,
Sem ver uma flor de jasmim,
Viver é mesmo assim?
Entendi:
O céu tem a cor do sentimento!
Neste 8 de março sinta-se;
Azul cor de anil!





segunda-feira, 3 de março de 2014

A procura de mim

Olhei de um lado,
Olhei do outro,
E nada!
Não  me encontrei,
Era eus de mais,
Eu me via longe,
Mas estava perto,
Me via sempre no mesmo lugar,
Sem nunca ficar nele,
Eu lia o mundo,
Mesmo assim desconhecia tudo,
Encontrei o que sempre quis,
Mas não tinha absolutamente nada,
Nada vinha por a caso,
Mas não dizia a que veio,
Encontrei lindos jardins,
Com doces rosas vermelhas,
Que caiam em minhas mãos,
Não murchavam,
Só não permaneciam vermelhas,
Eu era outra, não era eu,
A outra era sempre eu,
Eu sempre eu,
Não me encontro em mim,
Em mim habita outro mundo,
Que ainda não é meu,
No meu mundo tem você e eu,
E neste mundo que não é meu,
Não estou porque não sou sem você,
Eu sem  meu mundo dos sonhos,
Vou continuar a procura.




















domingo, 2 de março de 2014

No rastro

Viver é uma procura,
Um caçador  a sonhar,
Um sonho  vivida,
Uma caça a se laçar,
Se a procura continuar,
Vou continuar sonhando,
Viver a vida a procurar,
Vou  procurar meu sonho,
Até um dia ti beliscar.