Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Eu queria ser

Eu queria ser um peixe,
Diante daquela onda imensa,
Que pulava de alegria,
Vindo, vindo devagar,
Só as dunas a contemplar,
De repente se escondia,
Na areia a navegar,
Tchau para cada granito,
Que parece desmanchar,
E de novo mergulhava,
Lá por dentro refinada,
Dançava ao  ver as ondas balançar,
Lá no fundo  bem molhada,
A té outra onda voltar,
Leve  solta a me levar,
No balaço do mar,
Lindo véu a merejá,
Com o vento devagar,
Os pés de Iemanjá,
Jamais  deixaria me afogar,
Lindo é o verde mar,
Quero a sua proteção,
Meu mestre mar,
Eu quero que você me leve,
Naquele abraço da onda,
Que se entrelaça no ar,
Se esparrama suave...
Coisa linda é amar.
É por isto que o mar,
Tem folego a desafiar,
O peixinho que no mar,
Vai viver e se superar,
Mesmo que seja lá no fundo,
Ele volta a respirar.
Lindo peixe  quero ser,
Sem saber nadar...,
Mas aprendo a pular,
E devagar chego lá
Nem vou dizer o caminho,
Fique aí a me esperar...
2012 diga o que vai me deixar,
Eu quero 2013 cheio de movimento,
Eterno como o azul do mar,
Entre o céu e as estrelas,
È lindo de admirar.,
A lua sorrindo para você,
Vendo o vento soprar,
Meu mar.










segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Todo dia...Ave Maria

Plantei sementes de amor,
Nasceu um pé de alegria,
Cresceu um pé de saudade,
Nos meus dias de fantasia,
Semeado todo dia,
Amor e muita energia,
265 dias,
 Dois mil e doze dizia,
Quanto mais as noites passam,
Mas os dias anunciam,
24 horas ao dia, chuvas de muita magia,
Com as armas da emoção,
Um arco iris anuncia,
As cores de todo dia,
Dia e noite , noite e dia,
Estrondosa  nostalgia,
Lá do céu a lua avisa,
Vestida de fantasia,
Com seu véu de alquimia,
Traz a relva aos pés do sol,
Cantando ave maria,
Cheia de maestria,
O toque é poesia,
De braços abertos,
Traz o mundo ao seu limite,
Para refazer as dores da alma,
De um dia para o outro,
O rugir do silencio zunia,
Nos ouvidos do coração,
Quase tudo doía...,
Ao som da ventania,
Que de longe se ouvia,
É seu amor majestade,
Que traz essa agonia,
Não é nada é saudade ,
Daquilo que parecia,
Mas a cada dia um amigo,
De mãos dadas ressurgia,
Cada um mais alinhado,
Com requinte massageava,
As marcas que aparecia,
E assim 2012 findou,
Abraçando o dia e a noite,
Esperando o outro dia,
Cantando Ave Maria.