Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 9 de maio de 2011

A sua doçura

Poeta Francisco Cândido

A sua doçura

Você é Carmo, um nome de origem hebraica,
Que significa amável, expressiva, serena...
Tem comportamento de uma pessoa laica.
Tudo isso, e mais, ela é a minha morena.                

Ama o ético, a moral e na política é critica,           
Tem uma consciência do coletivo, é cidadã
Ama a vida vivida, sofrida, amada, é poética,
Sonha com a aurora de um novo amanhã.

Um amanhã cidadão, feito de esperança
Tecido no coletivo com fios de algodão mocó,
Assim, com tanto amor, a esperança não dança
E em ti, amor, a sorte jamais será cotó.

Ela tem a doçura de uma jabuticaba
Amada, idolatrada, é a minha Duca
A nossa amizade sincera não acaba,
Pois temos a competência de quem educa.

O invasor

Devagarinho sorrindo,
Sem modestia ele chegou,
Cheio de ternura,
Com olhar de anjo se  anunciou,
Com lisura seu poema penetrou,
Duvidei!
Exclamei!
Foi uma flechada,
Que Sao Jorge enviou!
Acentuei,
Não era anjo,
Não era arcanjo,
Não era santo,
Não era nada diferente ,
Não era apenas amor,
Era um invasor,
Feito  abelha na comeia!
Foi chegando e se infiltrou,
Cheio de mel,
Adocicado,
Ferruando  coraçao,
Feito abelha numa flor!
Nao sei, nao sei,
De onde vem tanto amor!