Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

O inicio e o fim!!

Inicio do fim,
É o fim de um ano,
Ano que inicia,
Ano sem fim,
È o fim do ano de 2013,
Vida rachada,
Vida anunciada,
Dores que não sara,
As saudades que separa,
Leva contigo...2013,
O que é sobra,
A vida reciclada,
Se  une  no arco-iris,
Nas cores da esperança,
Refletida na luz do dia,
Com a lua em suas fazes,
O encanto da noite,
E as asas da harmonia,
Meu abraço em fantasia,
Escuto tua magia,
Nos teus olhos...
O mundo eu contemplo,
A Deus com  sua graça,
A graça de ter  você,
Por acaso?
O a caso me deu você,
É você que amo!
Nada é do acaso,
Obrigado por mais um ano,
Por acaso já disse que te amo?
Eu amo você!
Fim de ano,
Inicio e fim,
2014...inicia assim...
Vivendo e vibrando ,
Encontrei você amigo(a),
Como um flor,
A esperança se abre,
O dia vai ,a vida continua,
A esperança fica,
E revigora nossos sonhos.
Bons fluidos com boas energias em. 2014.







terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Hoje é Natal.

Hoje é Natal,
Crianças sorrindo,
Amigos brincando,
Passeando,
É tempo  de solidão,
De programar 2014,
É tempo de reencontrar-se,
Neste desencontro vazio,
Com um pires sem chicara,
Café sem açúcar,
Amor sem aperto de mão,
Amor de geração,

Viva, Viva  meu pulmão.




sábado, 21 de dezembro de 2013

O que fica!

Mais um ano,
Mais um dia,
O que fica é desejo,
É sonho, é esperança,
È o tempo sem dinastia,
Castelos de ternura,
Estradas e um vazio,
Travessia todo dia,
È um sorriso que passa,
Leve solto ventania,
Mais um dia,
Mais um dia!
É Natal Ave Maria,
Bendito dia,
Que me trouxe um sopro,
De alegria...
Teu nome é harmonia,
Meu amor de nostalgia,
...platônico és meu um dia.



Mestre

Oh! mestre é tu em mar infinito,
Nas ondas da magnitude luz,
Fim, começo  e caminho,
O caminhar dos meus pés,
O sopro das minhas mãos,
A luz dos meus olhos,
A vida em continência,
Uma bença!
Raios que reflete em mim,
Irradiando paz e ternura ,
Era você em meu caminho.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Acredito nisso!

Um dia  quem sabe,
Uma rosa em um jardim,
Encontro e levo para mim,
A mais bela é jasmim,
Seu perfume me encanta,
Um perfume que vem de longe,
Trazendo você assim,
Como uma rosa,
Todo sorridente,
Acredito nisso.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Fugir para que?

Fugir para que?
Não insista em fugir,
Não está  no seu comando,,
Seu coração no abandono,
O meu  sem lenço sem documento,
Pedinte e humilhado,
Chamando por ti,
Não insista em fugir,
Sua fuga sou eu,
Onde tu for contigo estou,
Onde estás ?

domingo, 8 de dezembro de 2013

Seu eu não fosse assim!

Se e não fosse assim,
Assim ,sem saber quem,
Com uma força gigante,
Com um medo tremendo,
Eu não poderia sobreviver,
A este momento que suicida meu coração,
Maldito sentimento de nada,
Te procurando na revoada,
Tentando te agarrar ,
Te segurar no vento,
Ah vento!
Te leva de mim,
Sem dizer para onde,
Passa por mim e...
Bateu uma tristeza!

domingo, 24 de novembro de 2013

É!

È!
O mar me chama para sonhar,
A lua me seduz a amar,
A  praia grita meu nome na areia,
O bonde passa me leva o olhar,
Minha procura é sem fim,
Quero é te encontrar,
Onde o rio se encontra com o mar,
Meio rio meu amar,
Onde vamos sentir a brisa,
Se de longe só vejo o mar,
Eu quero pegar a onda,
Que vai contigo dançar,
Na brisa branda que  passa,
Na primavera ou no outono,
Eu só quero uma valsa,
Mesmo que venha bailando no ar.
Que seja para sempre um sonhar,
Ele é meu patrimônio,
Que guardo para te amar.
Meu amor montanhoso,
És meu amor de areia,
Minha pedra preciosa,
És meu amor de areia.




segunda-feira, 18 de novembro de 2013

O sonho que voa

A vida é um ciclo,
E um sonho que voa,
 Uma borboleta amarela, azul anil,
Nos teus lábios  pousa meu olhar,
Tuas asas sopram meu dia,
E Sobrevoa o jardim dos meus sonhos,
Repousa na tua doçura meus minutos,
Tempos de solidão,
Caricia  de um olhar de primavera,
Deitarei meus desejos na tua face sedosa,
Sentirei teu rosto em cada cor,
Uma magia colorida de flor ,
Borboleta dos  meus sonhos,
Beleza  do meu amor,
Tu voa sobre os galhos da minha imaginação,
Sobrevoar as rosas da tua face,
È um sonho de borboleta.




sábado, 16 de novembro de 2013

Meu girassol!

Gira meu pensamento,
Gira, gira com o sol,
Vou girando no teu encanto,
No teu giro meu amor,
Celebro todo teu giro,
Em cada canto e recanto,
,
Meu encanto de Girassol.
No Giro do  meu olhar,
Me vejo nos teus galhos,
Nas tuas pétalas que caem,
Nos gestos que tu me faz,
Sou tua pétala,
Tua joaninha,
Uma borboleta a pousar,
Teu jeito de olhar o sol,
Traz luz e felicidade,
Flor da minha corte,
Serás para mim cativeiro,
No lugar do passarinho.



sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Hoje!

Hoje senti o vento,
Nele vinha você,
Soprava  na minha face,
Dizendo  vou com você,
Eu procurava teus olhos,
Não te via me ver,
Mas via o teu sorriso,
De longe me convencer,
E eu sentindo teu sopro,
Nos meus ouvidos ferver,
Esse vento que hoje passa,
Nem de longe trazia teu ser,
Somente meu bem querer.

sábado, 26 de outubro de 2013

Ô vontade!

Ô vontade de dizer,
O que eu quero fazer,
Jà pensou se eu digo,
O que pode acontecer!
Mas eu não digo,
Para o mundo não saber,
Sou eu posso saber,
Um dia, quem sabe.





quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O que tu acha?

Brincar de cutucar,
Subir em pé de trapiá,
Escorregar nas dunas,
Se lambuzar na areia,
Se esconder a traz da porta,
Subir em pé de manga,
Se deitar na palmeira,
Isso é coisa de criança,
Que não pensa em malvadeza,
Mas quando a criança cresce,
Cutucar é uma maldade,
Se escondido está,
Fica difícil agente revidar,
E sentir a reação de  cutucar.



terça-feira, 8 de outubro de 2013

Lábios de mel

Se eu soubesse o caminho,







Com o mel dos teus lábios,
Faço da tua boca doce,
Meu acampamento terreno,
Herdeira de muita riqueza,
Com esses lábios fininhos,
E um sorriso de ouro,
Parece  mais um tesouro,
E é por isso que tu rindo,
Seus lábios ficam mais lindo,
E eu fico sempre  fingindo,
Pois a realidade é dura,
Meus pensamentos impuros,
Quanto mais falo mais finjo,
Se eu fosse beija-flor,
Estaria nos teus lábios,
Bicando...bicando,
Sugando teu mel ,
Descobrindo  o caminho do amor.




terça-feira, 1 de outubro de 2013

Docinho!

Criança gosta de balinhas,
De chocolate e  docinhos,
Eu gosto da sua doçura,
Se derretendo todinho,
Meu doce amorzinho!

sábado, 7 de setembro de 2013

domingo, 1 de setembro de 2013

Amor florido

No chão do amanhecer,
As flores do me querer,
Cantam a melodia,
Dos dias que vão nascer,
Quero nascer com as flores,
Flores tragam você,
No perfume das orquídeas,
Para meu entardecer,
Linda é a flor...
Desse primaveral poético,
Da tela de um coração,
Florido de amor. por você,

sábado, 31 de agosto de 2013

Embalada

No embalo desse amor,
O coração sentiu calor,
Com um lindo feito de Deus,
O mundo se presenteou,
É que  nasceu   uma flor,
Flor, que desabrochou,
Frondoso pé de amor,
Onde um ninho se formou,
Na raiz de um coração,
 Que flui !!!
Com um perfume que exala poesia,
Parabéns hoje é seu dia.
Te abraço e te afago,
Aqui na minha cozinha,
Só não quero  te perder,
No meio da fantasia.
Parabéns por este dia.







segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Pingos de amor.

Com pingos de amor,
Um poço brotou,
No chão de um coração,
Que transbordou,
E quase tudo evaporou,
Corria na pele como vapor,
Águas serenas que a lua trazia,
 Doce, fina e transparente,
Pra matar a  tua sede de poesia,
Com o mel que transborda na pele,
Doce fantasia,
Pingos de orvalho ,
Do calor dos olhos teus,
Cai em meu rio gotas de sonhos,
Que sai molhando a boca da saudade,
Intensos lábios que se curvam,
E respinga no chão do corpo,
As marcas de um fingidor,
Feita com um pingo de nada.
Marcas...marca um amor.












terça-feira, 20 de agosto de 2013

Na sombra da laranjeira

Te vejo pelos olhos do mundo,
Vibrante e saliente,
Atrevido e radiante,
Raio do sol,
Eu vi teu nascimento,
Forte bela e resistente,
Meu poema, meu calor,
Na sombra da laranjeira,
Colhi as sementes do amor,
Onde baila o beija-flor,
Onde se  esfria a vapor,
Amor que queima,
Dor que bate no peito e volta,
Dor que doí...
Por não te ver!


domingo, 18 de agosto de 2013

O zunido do chiado

 Folhas se vão sem barulho,
 E no chiado  de uma,
 Meus ouvidos  te escuta,
 Leve as folhas  que  se foi,
 Me leve no seu ritmo,
 Nessa  ventania doce,
Que libera magia,
Ao passar soprando meus ouvidos,
E como não aprendi lhe controlar,
Vou continuar na espera,
Do  zunido do te chiado.




domingo, 21 de julho de 2013

Uma cestinha de amor!

Nunca de mão vazia,
Sempre com uma cestinha,
Colhendo pequenas palavras,
As que trazes harmonia,
Esta é minha via,
Seguindo a viagem,
Com a virgem,
Com Maria e com José,
Seja Antonio ou Zezé,
Seja com a cor da maré,
Seja com o azul da fé,
Vou caminhando a pé,
Ou vou nas asas da doçura,
Dos meus amigos que quer,
Com poesia a vida,
Vai sorrindo e voando,
Nos desejos bem me quer,
E assim vou recolhendo,
Amor para o que vier!

sábado, 20 de julho de 2013

Um ser amigo!

Amigo escuta  lamentos,
Sorrir de nada e de tudo,
 Faz brincadeira e malicia,
Brinda a vida faz confissões,
Divide as alegrias,
Se veste de fantasia,
Nos dias de apatia,
Tem sempre um lenço branco,
Para as lagrimas enxugar,
E uma taça de vinho,
Mania de comemorar!

Encontro de amigos!!!

Se encontrando...
Com as palavras,
Em um encontro marcado,
Um convite de um amigo,
Um amigo convidado,
Muitos amigos enredado,
Todos interligados,
Pensamentos e emoções,
Na mesma conexão,
Uma palavra apenas,
Muitas palavras falando,
Se imbricando na amizade,
No embalo da ternura,
Vamos escorregando,
De mãos dadas passeando,
Embalando lindos  sonhos,
Viajando nos desejos,
Voando nas asas da doçura,
E com uma taça de carinho,
Brindamos hoje amigos,
Amigos que hoje somos,
Amigos poematize-se,
A você nós  nos rendemos,
...Amig@s da POESIA!





Escreva-me!

Escreva-me...
Um bilhete qualquer,
Um rabisco em grafite,
Um desenho sem critério,
Numa tela de parede,
Em um espelho transparente,
Com um sorriso delirante,
Um olho lindo e vibrante,
Eu te quero sorridente,
Ver no teu sorriso  latente,
Daqueles que mostra os dentes,
Uma palavra doce,
E um coração palpitante,
Hoje dia do amigo,
Sem você corro  risco,
Isto é um palpite,
Até tua resta é um perigo,
Só pensar em tua sombra,
Me assusta e me assombra,
Poesia onde tu anda?





segunda-feira, 8 de julho de 2013

Código secreto

Vamos dialogando em pensamentos,
Uns tantos e uns menos,
Cada palavra dita,
É uma brisa no sereno,
Uns sonhos ameno,
Outros vibrantes e quentes,
Uma fogueira de sonhos,
Nas palavras ditas e benditas,
Pensadas e escritas,
Vamos entrando uma na outra,
E se divertindo,
Elas se entendem e brincam,
Só nós sabemos,
O que elas estão dizendo,
Elas, as palavras viram poemas,
Mas um dia esses  poemas,
Quem sabe viram beijo na arena,
E um abraço da poesia com o poema,
Viram laço da mesma fita,
Laço que vira fita,
Fita que vira poema.



terça-feira, 25 de junho de 2013

Deu vontade...

Deu vontade de correr,
De de abraçar e dizer,
Coisas, coisas,
Coisas do amanhecer,
Da lua que vai nascer,
Do sol ao entardecer,
Coisas que nem sei dizer,
Minhas vontades correm,
E corroem meus pensamentos,
Andam soltas feito vento,
Só traquinando na mente,
São tantas vontades,
Vontade de ti ver sorrindo,
Falando no meu ouvido,
Do mundo da imaginação,
Das vontades do coração,
Vontade de tudo...
Muitas coisas...ah!
Minha maior vontade,
É pular o muro do mundo,
Atravessar a fronteira da tua pele,
Viver no teu coração,
Ser dona da tua alma,
Fazer do teu corpo minha morada,
Até criar teia de aranha,
Na sua imaginação,
Me infiltrar no teu olhar,
Me agarrar no teu sorriso,
E sentir o teu olhar,
Aonde quero morar,
Pensando no paraíso,
O melhor lugar para perder o juízo,

sábado, 22 de junho de 2013

Quem sabe um dia!

Um dia quem sabe,
Dois passarinho sem juízo,
Teimoso e perdido,
Se encontre no paraíso,
Livres e desimpedido,
Esperando o  sol nascer,
E a lua se esconder,
Sem medo do alvorecer,
Um dia e uma noite,
Voando, voando...




sábado, 15 de junho de 2013

Como seria?

Pensei sinceramente,
Em te fazer passarinho,
Te prender em uma gaiola ,
Te ver preso nas grades,
De um coração prisioneiro,
Aprisionado  de carinho,
Para te olhando todos os dias,
Curtir o  encanto dos teus olhinhos.

,


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Senti você!

Senti você passando,
Perto de mim, me afagando,
Era você...que eu sentia,
Um vento  balançando na janela,
Os fios do cabelo se indo,
Vindo  cheiro de poesia,
Da gaveta dos meus sonhos,
Espatifa meus desejos,
Joga lama na poeira,
Esfria o calor do meio dia,
Circula na varando do meu coração ,
Sopra suave um vento rosto,
Eu sinto teu cheiro gostoso,
Cheiro de malva-rosa,
Cheiro que entra porta a dentro,
E faz morada  na pele da gente,
Senti um sopro de amor,
De carinho e de calor,
Pensei ! o que é isso??
Que sinto com muito ardor,
É um vento que passa,
Ou é um sopro de vida,
Onde mora a saudade,
Que sinto do que restou.





domingo, 9 de junho de 2013

O toque

O toque da minha carência,
É vestido de pele,
Pele morena,
Que transpira de amor,
Dentro de um vulcão em vapor,
Ferve minha pele  menina,
Por um  toque que se derrama,
Nas ásperas  pele de vida,
O toque suave que as mãos  margeiam.






segunda-feira, 3 de junho de 2013

A menina vaidosa

A menina vaidosa,
Tinha brincos de mar,
Colar de brisa,
Batom cor de rosa,
Vestida de flor do campo,
Com seu anel cor de areia,
Os sonhos todos incendeia,
Brincava de faz de conta,
De um mundo sem pareia.

sábado, 1 de junho de 2013

Os olhos da emoção

Do silencio que passava na minha frente,
Eu via a noite vindo,
Só restava olhar a escuridão ,
Uma noite serena,
E minutos de solidão,
Os olhos abertos,
Piscavam desejos,
Nada era o sentimento,
 Pulava o coração,
Uma brisa trazia respiração,
Era Deus vindo na direção,
Um acalento frio e suave,
Abrandava a emoção,
Em ação...



UniNomade-LA: POR UNA RESIGNIFICACIÓN POLITICA DE LA IZQUIERDA

UniNomade-LA: POR UNA RESIGNIFICACIÓN POLITICA DE LA IZQUIERDA: Víctor Manuel Moncayo C (Colombia) Como ocurre con muchas otras expresiones que habitualmente utilizamos, de manera para...

terça-feira, 28 de maio de 2013

A boca da noite

Teus olhos verdes piscando,
No escuro da noite,
Noite escura brilhando,
Com a luz do teu amar,
Minha imaginação sorria,
Eu te via a clarear,
Tua luz tão pequenina,
A todos podia encantar,
Ninguém consegue te evitar,
Tua luz invade o lar da floresta,
A floresta da minha vida,
Esta vida sem luar,
Me restava teu olhar,
Esse olhar de vagalume,
Que me fazia criança,
Criança sempre a brincar,
Em minhas mãos te prendendo,
Para teus olhos fitar,
Esse olhos vibrante,
Que veio me iluminar,
Vivo a vida a te procurar,
Por que teus olhos,
Serão os olhos do meu olhar,
Sempre a boca da noite,
Começo a me lembrar,
O que seria possível pensar,
Numa noite de luar,
Distante deste acaso,
Um caso pra se contar,
Um conto de gente grande,
Que toda boca da noite,
Quando não te vejo sinto,
Teus olhos iluminar.

Só assim...

Se eu fosse uma cacimba,
Beberia toda água da tua doçura,
Faria vários poços de ternura,
Para banhar o coração de meu amado,
Quando a água do rio secar,
A correnteza passar,
E meus olhos não te alcançar!
Só assim teria certeza,
De ter o mel  dos teus olhos,
Guardado para adoçar a minha saudade.


terça-feira, 14 de maio de 2013

Por causa do teu amor

Passei a noite acordada,
Escutando teu chamado,
Mas a voz que me chamou,
Não era tua  amor!
Ainda estou aqui sentada,
E não estou apressada,
Ninguém  chame que não vou,
Nesse banquinho da praça,
De tudo já rolou,
Só falta tu meu amor...
Que passou mas não ficou,
Vem senta do meu lado,
Se não vou  viver acordada,
Sem ser sua namorada,
Fingindo que sou amada,
Sem por ti ser abraçada,
E por causa desse amor,
Até as rosas murcharam..






domingo, 12 de maio de 2013

Tem uma lagrima sorrindo!

O sol brilha,
O som estronda,
A moto ronca,
As folhas se movem,
Os quadrados da grade,
É que mede o céu azul,
Do outro lado sombra,
Luz  e nada,
Nada por dentro,
O silencio!!!!
O corpo chora,
Os olhos, ah!
Os olhos!
Se não fossem por eles,
Como seria ver um pássaro voando,
Um sorriso passando,
Ah!
Sorriso sem você,
O brilho dos olhos vão morrendo,
E viver sem catar você,
É não conhecer a lagrima do amor,
Te quero em meu ser,
Vou te encontrar na linha do tempo,
Te pegar com as mãos,
Te quero como um pássaro,
Voando ...
Te ver pousando,
 Sorrindo,
 Nos galhos deste coração.












Lápis sem tinta

 Assis costa                   

Uma cor de  coleção,  
Colorida e encaixada,
Sem lápis  para pintar o chão,
Deixa meu chão sem cor,
A cor da minha paixão,
Pintura descolorida e bela,
Essa cor da minha tela,
Tem as cores do momento,
Que doí, que sopra e suspira,
Com as corres do penhasco,
No infinito azul e verde,
Um hiato de sonhos,
Um desenho de amor,
Um lápis, uma coleção,
 Uma tela no chão,
Marcas de pés ,
Se desmancha  em coração,
Coração lápis de cera.
Cor verde amarela,
Coração de Cinderela,
Tinta de cor azul,
Lápis sem cor,
A cor da vida,
Vida sem cor,
Tela colorida.
Mãe!!!
Ausente,
Presente,
In memoriam,
Viva,
Sem vida,
Vivida, Vida colorida,
Sem tinta,
Lápis que pinta sem tinta,
Uma vida colorida.





,



domingo, 5 de maio de 2013

Se..

Se,,,
Se eu fosse poetiza,
Era toda fina,
Escreveria com caneta ,
Rabiscava no diário,
Desenhava letras cursivas,
Pintava uma poesia,
Mas eu não sou...
Minha poesia é um jardim com florzinhas.

sábado, 27 de abril de 2013

Na terra do teu amor

Não quero ser nada,
Quero ser apenas uma flor,
Quero atrair teus olhos,
Teu carinho,
E teu calor,
Quero respirar,
 Do sopro do teu amor,
Ser contemplada,
E beijada meu Beija flor,
Deixar ser néctar,
Sempre doce,
Sempre flor,
Perfume para atrair tua beleza,
E teu voo de beija flor.




segunda-feira, 8 de abril de 2013

Flor de cacto!



Um sorriso desabrochou,
Lá de Brasilia a equipe me nomeou,
Flor de cacto
 Sou  cacto,
Sou Flor,
Lá de Minas  não sou flor,
Sou fruta jabuticaba,
Sou  potiguar,
Para uns flor de cacto,
Para outros jabuticaba potiguar,
Para Tetê sou dudu,
Para os mais intimo cacá,
Para os amigos virtal sou duca,
Para o oficial Do Carmo,
De batismo Maria,
No papel Maria do Carmo,
Para o latim Carmem,
 poema,
Para mim ainda não sou,
Quem sabe um vir a ser,
Pétalas, frutos, espinho,
Flor de cacto,
Flor,
Cacto, Jabuticaba,
Feliz pela flor de cacto,
Das amigas que dialoguei,
Com a felicidade me encontrei,
Pela nomeação dos poetas,
Jabuticaba serei.










terça-feira, 26 de março de 2013

Navegando

Doidinha para avançar,
Invadir a sua praia,
E desembocar no mar,
Abraçar a onda,
Mergulhar profundo,
E te resgatar...
Esta é minha vontade,
De pescar vossa magestade,
Até pode ser de rede,
Guiada pela lua,
Ou iluminada pelas a estrelas,
Quanto mais forte a correnteza,
Mais nessa viagem vejo beleza,
Respirando o ar da tua delicadeza,
Neste mar de incerteza,
O bom mesmo é sonhar,
E no sonho se realizar...
Mesmo estando em alto mar.

sábado, 23 de março de 2013

Sem concerto

Não tem minhas poesias,
Uma palavra correta,
São todas incertas,
Não tem acento,
Nem circunflexo,
Sem virgula,
Sem ponto final,
Ou interrogação,
Existem muita exclamação,
Sempre falta pontuação,
Nem é conto nem   contação,
O que se escreve ,
E o que sai da imaginação,
É concebido com nossa interação,
Falo das emoções,
A minha e a sua,
E tenho dito;
Nesse ninho de sonho,
O pensamento voa,
O coração soa,
Me escondo neste texto,
Pontuação é pretexto do texto,
Fica para depois,
Quem sabe um dia me lembro e corrijo.




Fazer o que?




Eu não sei o que falar,
Muito menos poemar,
Não sou poeta, nem poetiza,
Não sei ao menos engendrar,
As vezes faço um remendo,
Para contigo falar,
Falo coisas sem sentido,
Sinto coisas sem falar,
Te carrego aqui o peito,
Como uma rosa a desabrochar,
Tanto faz tu entender,
Como pedir para explicar,
Quando misturo as palavras,
Elas  vão te conquistar,
Pode entrar em uma delas,
Só ela pode falar,
Elas param e caminham,
Se perdem na encruzilhada,
Mas nunca vão te deixar,
Tu é o meu poema,
Poema vivo a te procurar,
Qualquer um dia desses
 Eu sei!
 Ou te acho,
Ou tu me acha,
Ou nos achamos,
Fazer o quê!
Eu não sei o que escrever,
Escrevo para confundir.





sábado, 16 de março de 2013

Sentindo-te


Tua pele perfumada  deslizando,
Teu corpo leve me suando,
Tua boca molhada  insinuando,
No molejo dos teus movimentos,
Meus olhos  te seguem,
 A sua resta te desenhando,
Na sombra do sol seu caminhar,
Devagar te vejo chegar,
Sempre te acho em algum lugar,
No lugar onde estou,
Estás em mim vivo,
Sempre vivo,
Vivo a sonhar,
Um sonho  não morre,
Sinto o sonho me chamar,
Com ele embarco sempre,
Sempre sentindo,
Os passos do meu sonhar.




                                                                  

Uma procura

Eu ti vi bem longe,
Parecia sorrir pra mim,
Distante em cor dourada,
Posta naquele fundo escuro,
Era destaque no céu,
Só e completa te aclamava,
Eu via seus lábios ,
Sua forma de boca soava calor,
Ela se exibia  e se ia,
E se foi,
Lua, luar fiquei só sem teu olhar.

sábado, 9 de março de 2013

porque

Todos os por quês,
Me leva a um porque,
Por que  não sei,
Mas sei por que sinto,
Penso,sonho, espero,
Me encanto, pranto,
Canto a melodia das estrelas,
Canto a poesia,
Me encanto em louvor ao poeta,
Perco a fala,
Fico retraída, embriago-me,
Não sei porque,
Tem porque junto e separado,
São tantos porquês,
Ma  só entendo porque junto.







terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O tempo não passa

A distancia avança,
O coração arde,
O tempo chora,
O tempo canta,
E você tempo,
Não chega,
Qual é seu tempo,
Que não passa,
Tempo que se entrelaça.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

É muito tempo

Como o tempo passa devagar,
Minutos, horas, segundos,
Dias sem contar,
Por vezes uma eternidade,
Sempre muito devagar,
As vezes voa sem avisar,
Há dias que não quer passar,
Quanto tempo o vento leva para soprar,
É tão rápido que não se consegue pegar,
Devagar ele resfria um olhar,
Migra sem querer parar,
Volta sempre e fica no ar,
Leva o  barco em alto mar,
Me trás de volta em ondas o mar.
Levou meu cabelos em fios ,
E fez voar...
Um tempo calmo,
 Me acalma meu mar,
Que vento frio no ar.



sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O silêncio

O silêncio grita e doi,
Queima igual a brasa,
Ferve feito leite,
Borbulha com ardor,
Faz o sono ficar leve,
E o coração em alerta,
Os nervos a flor da pele,
 E se torna dor,
O silêncio é uma fala sem cor,
Quando o barulho é grande,
Por dentro desbota ,
 E por fora furta a cor.


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Sonho doce

Na rede da vida,
No balanço amor,
No sopro da noite,
Um doce louvor,
A vida me trouxe,
O vento levou,
Meu doce , meu love,
Meu sonho de amor,
Doce  lua nova,
No horizonte apontou,
Será que S. Jorge não acordou?
Um sonho doce na lua vibrou,
Na fase crescente se iluminou,
Nasceu um sonho nobre,
Um eclipse se formou no céu do coração,
A lua e o sol se conjugou,
Um sonho doce virou lua cheia,
Cheia de ternura...









segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Falta palavras

No silêncio que  destrai,
E que destrói o silêncio,
O silêncio me atrai,
Um silêncio que domina,
Que nem as palavras saem,
Falta letras, faltam silabas,
Faltam as palavras...
Nada de mim sai,
Não sei onde fostes,
 Nem onde estás,
Me diz palavra,
O que se faz,
Se tu não fala nem ai,
Sem tu minha palavra,
Nem um texto se refaz,
Meu poema sinto que morre,
Sinto  falta é do teu gás,
Que ascende a lamparina,
Da palavra que se vai,
Nem para ler destino,
As palavras me serve mais,
Ah! silêncio...




sábado, 19 de janeiro de 2013

Em fim!!

Você me domina,
Me leva onde vai,
Não sei onde andas,
Nem  o que faz,
Distante de mim,
Ausente jamais,
Uns dias atras,
Um mundo de paz,
Que se desfaz,
Eu vou contigo,
Com a lua radiante,
Crescente ou minguante,
Com o sol brilhante,
Sorrindo  distante,
Meu mundo tenaz,
Você é assim,
Um sonho  sem fim,
Parece verdade,
Brotando nos campos,
Raiz do meu pranto,
Que planto e replanto,
Meu pé de silêncio,
Gritos de mim.
Você é assim!!
 Um pé de brandura,
Uma doce aventura,
Vaidade e magia,
Alegria...em fim.










sábado, 12 de janeiro de 2013

Ruminando


Tanajura no sertão,
Voa com permissão,
No voar de meu olhar,
Minha casa estrelada,
Com a lua a namorar,,
Ver como vaga-lume,
Com você vou recordar,
Quero ver os passarinhos,
Fazer ninho e cantar,
Nunca vou ser sabiá,
Beija-flor vou contemplar,
Os passos aqui na terra,
Me prende neste lugar,
Vou arrancar a raiz,
Da arvore que plantei lá,
A copa longe daquela arvore,
Nem pássaro, nem ninho,
 Nem piá.
Só asas no pensamento,
Uma andorinha no ninho,
Vida.. que me traz sombra,
As folhas escuto chiar,
.Vida,..vida...
Onde vou, vou te buscar,
Saudade, liberdade,
Ensinar o caminho eu não sei,
 No castelo que eu mesma levantei.
 Nem mesmo a semente que plantei,
Eu sei de onde veio.
Mas veio, 
E a lua detraída,
Esqueceu de ver o sol,
Nascendo pra brilhar.,
 Felicidade e carinho,
No olhar,
Nas narrativas,
Nas metáforas e no olhar.



terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Me leva

Ventania onde vais,
Me leva nos teus braços,
Me solta em outra estação,
Me deixa viver  no verão,
Dormir na primavera,
Acordar no inverno,
Passear no outono,
Olhar a tempestade passar,
Deixando o lenço branco esvoaçar,
Enlaçado apenas nos dedos,
Sem de mim desapegar,
Belas voltas tu consegue no ar,
Me deixa respirar,
Sem seu frio só sinto calor,
Me leva, me tira deste calor,
No sertão um ventinho,
Tira até sinal de dor.
Vou contigo viajar onde tu for,
Só me deixa em uma sombra,
Quero uma arvore redonda,
Com muitas folhas chiando,
Os pássaros se aninhando,
E tu passando...leve e solto,
Me acariciando,