Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 9 de abril de 2011

Sem vergonha de ser Mulher!


Sem vergonha de ser Mulher! Quero minha parte na dignidade das mulheres nos demais 364 dias do ano



Sem vergonha de ser mulher, gorda, magra, casada, com filhos, muito trabalho, no lar , lavando, passado, na conzinha, na varanda, no rio ou no mar, marisqueira  , ou empreendedora, empresaria ou professora, costureira ou amante, bem casada ou desfilando na passarela. Um dia mulher outro dia deputada, sempre mulher, faxineira, Gari, camioneira, governadora, escritora, vereadora, prefeita, senadora, sempre Mulher uma vez Presidenta. Somos mulher sem vergonha de ser mulher que denuncia, que sofre as dores da humilhação, da agressão, das sutilezas do capitalismo,  que sente as marcas da ditadura e que deslumbra os lugares mais nobres, sai do salto por um amor, sobe no salto para não desvendar um amor desprezível, assim sempre mulher sem vergonha de ser, sensível e sedutora,militante das causas sociais.  Mãe que não desgruda da vida que só ela  é capaz  de multiplicar, unir separar, unindo pelo umbigo  e separando pelo corte com seu útero.  Mulheres do mundo, mulheres  na luta, assim sem vergonha de ser, as feministas as amantes da vida  sem dor traz para  você, para mim, para tod@s , um alô neste dia 08 de março dia em que as mulheres serão aclamadas a ser mais mulher, na luta, pelas crianças exploradas, pelas mulheres violentadas, pelos direitos negados @s trabalhador@s. Na luta por uma  sociedade mais justa , fraterna e igualitária ! Sem medo de ser mulher,  que ama seu outro como se fosse si próprio sem vergonha de ser mulher, enfermeira , policial,  medica . Há mulheres cabeleireira, há mulheres dançarinas, aquelas que cantam e encantam, mulheres o dia todo sem vergonha de ser na noite mulheres que amam, belas de corpo inteiro, seja na roça, seja a mais linda  aeromoça ou mesmo aquela chefe de família um dia mulher sempre mulher sem vergonha de ser!
M.C
08/03/2011

O poeta cidadão

Zé Milanês: o poeta cidadão*
Poeta Francisco Cândido
Na cantoria de vida e viola,
Em noite de lua e madrugada
O poeta motivado não amola,
...Nem entorta o ritmo da toada.

Lá fora o canto da passarada
Que em sinfonia, ninava a noite
Nos porões o estalar de açoite
E o canto afinado da rapaziada:

Vai-se um amor e vem outro
A andorinha só não faz verão
Não quero ser como pau torto
Vem e te dou meu coração!

Só o amor à cultura prevalecia
Havia comunhão entre amigos
E o cantador com maestria,
Louvava Dona Flor e seus maridos.

Cantava a dor e a esperança
No raiar de um novo tempo
Feito de justiça e de bonança,
Não podia ser jogado ao vento.

Idealizava um novo mundo
Onde não houvesse exploração.
A amizade fosse um bem profundo
E em tudo prevalecesse à união.

A saúde, o pão e a educação
Seria direito básico e não favor
Assegurados a toda população
Sem discriminação de religião e cor

Era conhecido como Zé Milanês,
Sindicalista e poeta popular,
Um homem de indiscutível altivez
Só queria aos trabalhadores ajudar.

Tive a honra de conhecê-lo, um dia
Numa noite de animada cantoria
O Pé de Serra se enchia de alegria
Ao som da viola, o povo sorria.

Deixou um grande legado
De coragem, justiça e lealdade.
Deixo aqui o amor poematizado
Por uma questão de fraternidade.

Versejo abraçado a minha terra,
Celebrando os caminhos da vida
Que às vezes a terra seca aterra
Ao lado do sagrado berço da lida.

Seu coração guardava segredos
De vida e viola, gado e gente
Desenrolando, dá mil enredos
De um conto ao descontente.

Sinto prazer em observar e cantar
As belezas raras do Nordeste
Só a zabumba me faz rebolar,
Sendo um valente cabra da peste.
* Poeta e líder sindical, barbaramente assinado, na cidade de Currais Novos (RN), em função de sua luta em defesa dos trabalhadores rurais.

POEMATIZE-SE!: MANIFESTO DE CRIAÇÃO DO POEMATIZE-SE! - DO FB

POEMATIZE-SE!: MANIFESTO DE CRIAÇÃO DO POEMATIZE-SE! - DO FB: "ANTOLOGIA POÉTICA 'POEMAGITE-SE!' Versão 6, de 10/03/2011, 12h30 Slogan Poético: 'O MATIZ DO POEMA' Público Alvo: POETAS NATURAIS Critério..."

A LUA DE MARÇO

Vi o nascimento da lua de março.
Vi o parto ocorrendo no espaço!
Era como se as duas serras
Arqueassem suas pernas
Para facilitar a vinda dela
Aos habitantes da Capela!*
Ela era grande e bela,
Uma lua mais que cheia; amarela!

Parecia aquela super bebê
Que ao nascer a mãe diz,
Orgulhosa e mais que feliz:
"Que menina forte, benza Deus"!

Desci de onde aconteceu
Assistir tamanha maravilha.
Estava aos pés de São Sebastião,
No ponto mais alto da Ilha!
E no dia de São José, fim do verão,
Vale uma poesia! Vale uma canção!

* Capela do Serrote da Cruz de São Sebastião - Caicó/RN

Gilberto Costa

O laço

O laço que nos enlaça, por capricho deu nó cego, e sem ter quem nos deslace, ficou o laço mais belo.

Saudação

Boa noite!!
A vida brilha mais intensamente
quando temos um amigo que
realmente vale a pena, e que
reconhece o nosso valor, isso é
muito gratificante.
Você é uma dessas pessoas.
Adoro você.
Juraci