Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 29 de março de 2011

CASTIGO CIGANO

Uma alma aprisionada
Na clausura da solidão
Escorre dos olhos uma lágrima
Escondida no coração.

Despediu-se do corpo um cristal
Que brilhava na dimensão
O anel que firmava
Laços de emoção.

Quebrou-se como vidro
Estilhaçando-se na parede dos sonhos
Como aalma cigana se foi
Levando consigo seu violão
E a música que acendia o fogo
Que encantava as rodas de lua cheia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário